7 de novembro de 2013 às 07h55min - Por Mário Flávio
O presidente da Casa destacou que projeto atual contempla partidos e não é democrático. A imagem é de Wladimir Barreto/Secom Câmara

O presidente da Casa destacou que projeto atual contempla partidos e não é democrático. A imagem é de Wladimir Barreto/Secom Câmara

O Parlamento Jovem voltou a ser notícia essa semana. Membros do PSDB deram entrada na justiça para que o mesmo seja reativado. Presidente da Comissão de Juventude, o vereador Jajá (PPS), usou a tribuna e cobrou da Casa, que toma uma posição. O presidente da Câmara, vereador Leonardo Chaves (PSD), disse que o formato atual do PJ deve ser repensado.

“Vossa excelência faz parte de uma Comissão que eu nomeei para estudar o projeto e até hoje a mesma não me deu retorno. Posso adiantar que que ninguém aqui é contra ao Parlamento Jovem, apenas nós queremos dizer que da forma como a resolução foi concebida, não foi para atender aos jovens, mas para os partidos políticos e temos que fazer uma reflexão sobre isso”, disse.

O edil disse ainda que a composição do PJ é uma afronta da democracia e citou o exemplo da Câmara Mirim, criada por ele, e desativada desde 2007. “Essa Casa precisa dar uma nova concepção a essa Resolução. Até a idade deve ser revista, já que em outros parlamentos a idade máxima é 20 ou 21. Hoje se fala muito em democracia, mas como as pessoas que vão para esse Parlamento vão por indicação? Nós fizemos a Câmara Mirim e os colégios escolhiam um representante, que era eleito nos colégios, isso é democracia, não da forma como foi concebida essa resolução”, expôs.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro