25 de janeiro de 2012 às 09h53min - Por Mário Flávio

Com informações do repórter Wagner Gil

O vereador Paulo Sargento (PDT), presidente da Câmara Municipal de Agrestina, afirmou que em momento algum agrediu a criança na sessão ordinária que ocorreu na noite da última segunda, na Terra do Chocalho, como foi denunciado aqui no Blog. O caso foi levado para delegacia do município, onde foi feito o exame que constatou algumas lesões no rosto do menor.

Segundo o presidente da Câmara, devido aos incidentes e bagunças que ocorreram nas sessões anteriores com a casa superlotada e muita gritaria, ele determinou que apenas entrariam para assistir a Sessão Ordinária de ontem a quantidade de pessoas de acordo com os assentos disponíveis. “Quando a porta estava fechada, um popular abriu e várias pessoas entraram. Fui até a porta com dois seguranças da casa e fechamos. Apenas isso”, disse Paulo Sargento.

Ele afirmou que essa denúncia tem caráter político porque o fato ocorreu por volta das 20h, quando a sessão ainda estava para começar, e a queixa só teria sido prestada quase duas horas depois após o fim da sessão. “No momento que essa senhora falou que o menino foi agredido, tinham duas viaturas na porta da Câmara e nenhuma delas foi acionada. Nenhum policial foi procurado”, disse o vereador.

O presidente do Legislativo lembrou ainda que atuou durante 21 anos ao lado da prefeita Carmem Miriam e na Polícia Militar sem ser envolvido em fatos ou denúncias de violência. “Não tem nada na minha ficha. Nenhum histórico de agressão ou disparo de arma de fogo. Essas coisas só estão acontecendo porque não estou mais com ela (a prefeita Carmem Miriam)”, disse Paulo Sargento. Segundo ele, há poucos dias houve também uma troca de empurrões entre um filho da prefeita e o vereador Gordo de Zelito. “Eu fiz apenas apartar a confusão e depois foram prestar queixa de mim me acusando de agressão”, finalizou.

Paulo Sargento diz que a questão é fato político


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro