4 de setembro de 2018 às 13h10min - Por Mário Flávio

NOTA HOSPITAL SÃO SEBASTIÃO

A Prefeitura de Caruaru recebe com estranheza e perplexidade a postura do Governo do Estado de Pernambuco quanto a (re) inauguração do Hospital São Sebastião. Na verdade, a forma agressiva com que o tema foi tratado, demonstra apenas uma tentativa de justificar o injustificável: a incapacidade de fazer o equipamento de saúde funcionar na sua plenitude e, sobretudo, atender às demandas da população de Caruaru.

A intenção é jogar com palavras para tentar empurrar o funcionamento da ala posterior do hospital para responsabilidade da Administração Municipal. Isso é que se constitui um factóide político verdadeiro.

A Portaria nº 2.039 deixa claro que a responsabilidade do Hospital São Sebastião é do Governo do Estado. A parte inferior do prédio, onde funcionava um ambulatório de especialidades e a fisioterapia, foi desativada em setembro de 2013, a pedido da construtora, não tendo sido devolvido, nem pactuada sua devolução ao município.

Sobre o custeio de leitos, foi publicada Portaria MS 3.250/2016, no valor de R$ 434.350,00, pelo Ministério da Saúde, e o município passou a receber esses recursos, estando devidamente guardados e reservados no Fundo Municipal de Saúde para resgate ou devolução ao Ministério da Saúde.

Na verdade, a inauguração parcial, às pressas, no primeiro dia da campanha eleitoral, só evidencia, aí, sim, uma medida eleitoreira, atabalhoada, como inúmeras outras feitas pela gestão estadual. A prefeita Raquel Lyra não é candidata e tem o dever de cobrar as melhorias para a população seja atendida em sua plenitude.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro