4 de janeiro de 2016 às 09h40min - Por Mário Flávio

aterro

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) concedeu a licença de operação ao Aterro Sanitário, no último dia 30 de dezembro. Isso significa que o lixo do município é recolhido e tratado conforme rigorosos padrões de controle ambiental. A licença vale também para a nova célula do equipamento, construída em ritmo acelerado pela Prefeitura, em terreno de cinco hectares, para atender ao expressivo crescimento da produção de resíduos sólidos na cidade.

Com a nova situação, Caruaru reconquista as cotas do ICMS-Verde, pagas pelo Governo do Estado aos municípios com Aterros Sanitários aprovados pela Agência Estadual de Meio Ambiente-CPRH. “A nossa fatia do imposto será maior. A pontuação oficial aumentou porque temos trituradoras de material destinado a produzir adubo orgânico, usado em nossas praças, parques e jardins”, observa Emerson Aragão, engenheiro ambiental responsável pelo Aterro Sanitário de Caruaru.

Após a regularização junto à CPRH, e já contando com o término das obras físicas da Central de Triagem de Resíduos, o próximo passo será a coleta seletiva do lixo. O serviço será implantado numa ação conjunta da Prefeitura e organizações civis do setor de reciclagem de resíduos. “O contato com as entidades já foi feito. Restam detalhes operacionais para que comecemos um projeto-piloto”, informa Maurício Silva, Diretor do Departamento de Limpeza Urbana.

A licença da CPRH é proveniente da ação da Prefeitura e do suporte da Consultoria do técnico caruaruense Geraldo Miranda. Ele concebeu o projeto de expansão com base em atualizada tecnologia, como as mantas de poliuretano que impedem a infiltração do solo pelo chorume, protegendo o lençol freático, e o tratamento de gases que elimina odores indesejáveis. Tudo em espaço vedado à entrada de animais ou catadores não autorizados.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro