4 de outubro de 2012 às 20h00min - Por Mário Flávio

Mais um capitulo da série de polêmicas na reta final da campanha em Caruaru. Desde a manhã desta quinta (04), estavam sendo distribuídos panfletos anônimos, com propaganda irregular, por não conterem identificação partidárias e com referências diretas contra o prefeito e candidato à reeleição Zé Queiroz (PDT). A distribuição dos folhetos foi atribuída à militância da candidata Miriam Lacerda (DEM). No início da tarde, no entanto, a coordenação de Queiroz alegou que os folhetos estariam sendo guardados dentro do ônibus de campanha da candidata, utilizada pela militância da Onda Jovem, sob placa KHV-3075. O veículo foi abordado pela Polícia Militar no Alto da Balança e foram encontrados aproximadamente 500 panfletos irregulares.

No contexto

Durante abordagem de ônibus da Onda Jovem, eleitores de Zé e Miriam provocam tumulto

Debate Liberdade – Miriam questiona Queiroz sobre IPTU e clima esquenta

Coligação que apoia Zé Queiroz emite nota de repúdio

Segundo o assessor de comunicação da Coligação Caruaru com a Força do Brasil, Aquiles Lopes, integrantes da coordenação de campanha de prefeito viram esses panfletos colados na parte interna do veiculo e por isso eles chamaram a policia militar e uma viatura teria chegado ao local por volta das 17h. O ônibus não foi revistado de imediato, porque estava fechado, mas o tenente Flávio Carvalho, que integrava a viatura do batalhão da PM, conseguiu remover alguns dos folhetos que estavam dentro do ônibus.

Por volta das 18h e 30min, integrantes da oposição que tinham acesso ao veículo, abriram a porta do veículo para que os agentes da polícia pudessem entrar entrar no ônibus. Entre estes, estava o advogado do setor jurídico Marcílio Cumaru. Uma primeira revista foi feita pelo tenente Flávio, que entrou no veículo com dois membros da oposição. Depois, acompanhado de um dos advogados do setor jurídico de Queiroz o tenente fez nova vistoria e conseguiu encontrar aproximadamente 500 panfletos irregulares.

IRREGULARIDADE

O tenente Flávio confirmou que esse material apreendido corresponde ao material de propaganda ilegal. “Nós fizemos a vistoria com os advogados e encontramos o material irregular, esses panfletos foram encaminhados à sede da Polícia Federal, para ser apresentado ao delegado de plantão”, explicou. O ônibus deveria ter sido encaminhado para a sede da Polícia Federal, a fim de uma averiguação mais precisa, o que não ocorreu no momento da abordagem policial, porque os agentes informaram que o veículo estava com problemas mecânicos e por dificuldades de logística. O veículo só foi rebocado por volta das 21h.

Segundo um dos advogados presentes no local, Thiago Paes Barreto, o delegado vai analisar todos os documentos apresentados pela PM e depois será lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), para saber se é possível abrir um inquérito policial. “Caso seja instaurado um inquérito, a distribuição destes panfletos pode se enquadrar como propaganda irregular, por não apresentar identificação adequada da coligação, e como prática de injúria contra o candidato Zé Queiroz”, explicou o advogado.

Esse material encontrado fazia referências específicas ao pagamento do IPTU da residência do candidato Zé Queiroz, uma polêmica levantada pela oposição durante essa semana.

O ônibus foi apreendido e rebocado para frente da sede da Polícia Federal


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro