16 de outubro de 2012 às 09h17min - Por Mário Flávio

Com a decisão do senador Jarbas Vasconcelos em apoiar o governador Eduardo Campos (PSB) uma polêmica foi instalada. O vice-presidente Michel Temer convocou o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, para a reunião da Executiva Nacional e lá Júlio recebeu o sinal verde para assumir o papel de locomotiva da renovação do PMDB de Pernambuco. A intervenção se dará pelo voto. Júlio Lóssio já articula uma chapa para presidir o PMDB de Pernambuco e pode ser a opção da oposição para sair candidato a governador em 2014.

A intenção de Temer é frear a ideia de colocar Eduardo Campos como opção para a vaga de vice numa futura chapa de Dilma Roussef (PT). Uma fonte peemedebista garantiu que nesse contexto, é impossível o grupo Lyra entrar no PMDB, já que o partido vai ficar na oposição a Eduardo e monitorado diretamente por Temer. A mesma fonte acha difícil também Tony Gel e Miriam entrarem no PMDB, porque os dois já trabalham com a tese de ficar na base do governador. O exemplo disso foi a campanha desse ano, quando a oposição evitou fazer qualquer crítica a Eduardo.

Se toda essa situação se configurar, o próprio Jarbas pode até deixar o PMDB por falta de espaço. Nesse caso, em Caruaru, o candidato a deputado estadual seria Rivaldo Soares, já que ele tem uma boa relação com o prefeito de Petrolina, que chegou a defender Soares junto a Michel Temer, no episódio da eleição passada. Temer não atendeu ao pedido de Jílio Lóssio porque pensava que Raul Henry fosse ser candidato a prefeito do Recife e como Raul é secretário geral do PMDB, não ficava bem intervir no partido em que o possível candidato a prefeito (do Recife) tinha cargo de direção.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro