22 de fevereiro de 2018 às 07h52min - Por Mário Flávio

Do Uol

A PF (Polícia Federal) realiza, nesta quinta-feira (22), a 48ª fase da Operação Lava Jato. São cumpridos 50 mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão temporária. As ações, com o apoio do MPF (Ministério Público Federal) e da Receita Federal, ocorrem nos Estados de São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Paraná.

Segundo a PF, o foco da operação seria a investigação de lavagem de dinheiro por meio dos operadores financeiros Adir Assad e Rodrigo Tacla Duran, ambos já envolvidos na Lava Jato. De acordo com o MPF, Assad e Tacla Duran “fizeram operações financeiras ilícitas para empresas do Grupo Triunfo”.

A investigação tem como foco a apuração de casos de corrupção ligados aos procedimentos de concessão de rodovias federais no Paraná que fazem parte do chamado Anel da Integração.

Uma das concessionárias teria usado serviços de Assad e Tacla Duran para “operacionalizar, ocultar e dissimular valores oriundos de atos de corrupção”, diz a PF. Entre os serviços prestados pelos operadores está a viabilização do pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), do DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem no Paraná) e da Casa Civil do Governo do Estado do Paraná.

Os mandados de prisão temporária, com duração de até cinco dias, são cumpridos em São José dos Pinhais (PR), Londrina (PR) –três mandados–, Curitiba –dois mandados– e São Paulo. As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal.

Os nomes dos alvos dos mandados de prisão não foram divulgados. Assad está preso desde agosto de 2016. Já Tacla Duran, alvo de mandado de prisão preventiva em outra ação penal da Lava Jato, vive na Espanha.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro