28 de outubro de 2013 às 00h45min - Por Mário Flávio

20131028-004359.jpg

Do Portal Leia Já

Após o rompimento da aliança do PTB e do PT com o PSB em Pernambuco, o quadro para as eleições a governador em 2014 começou a se delinear apresentando nomes cada vez mais concretos a postularem o cargo, ocupado atualmente por Eduardo Campos (PSB). Dados do levantamento, divulgado neste domingo (27), pelo Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN) apontam que, se o processo eleitoral fosse hoje, o senador Armando Monteiro (PTB) seria eleito governador de Pernambuco no 1º turno, em quase todos os cenários. Um eventual 2º turno, de acordo com a amostra, aconteceria caso o PT lançasse uma candidatura própria, apresentando como postulante o deputado federal João Paulo.

Na disputa entre Armando, que tem possibilidade de ser o candidato apoiado pelo PT, e o ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (FBC-PSB), um dos mais indicados a ser o nome indicado por Eduardo, o senador teria 26% das intenções, enquanto FBC é citado por 12% dos entrevistados, no primeiro cenário estimulado. Neste caso, 27% dos eleitores da Região Metropolitana do Recife (RMR) escolheriam Armando e 7% optariam por Bezerra Coelho. Já no Sertão, região de origem de Bezerra Coelho, o ex-ministro obtém um progresso nas intenções e aparece com 28% da preferência, porém ainda com o percentual menor do que o de Armando, 30%. Com a distância do pleito, somado ao fato das candidaturas não estarem portas, o total de intenções de voto branco/nulo (42%) e os que não souberam/não responderam (20%) chega a 62%.

Quando um nome petista, o do deputado federal João Paulo, é acrescentado à disputa, o percentual de Armando cai para 23%. Neste momento, FBC aparece com 11% e João Paulo teria 14% dos votos, fazendo assim com que fosse necessária a realização de um 2º turno. Observando por regiões, João Paulo teria 22% dos votos no Recife, o senador 13% e o Bezerra Coelho 7%, nas demais cidades da RMR 23% dos entrevistados votariam em Armando, 19% em João Paulo e 4% em FBC. No Sertão, a preferência pelo ex-ministro volta a aparecer, agora com mais força, 32% dos votos, enquanto Armando teria 30% e João Paulo 1%. Com três candidatos na disputa, o percentual de intenções de voto branco/nulo (31%) e os que não souberam/não responderam (21%) reduz em 10%, ele totaliza 52%.

Ao modificar o quadro, substituindo o candidato do PSB, agora com o nome do vice-governador João Lyra Neto, retirando o petista e acrescentando um tucano a disputa, o deputado estadual Daniel Coelho, os números continuam favoráveis a Armando. O senador seria votado por 26% dos entrevistados, seguido por Daniel, 11%, e por Lyra Neto, 4%. No Recife, o tucano seria o mais votado, com 17%, Armando ficaria em segundo lugar, 14%, seguido pelo socialista com 3%. Em outros municípios RMR, o petebista voltaria a liderar, com 24% das intenções, Daniel permaneceria com 17% dos votos e Lyra Neto seria o preferido de 1% da população. Entre os sertanejos, 41% das intenções são para Armando, 3% para Daniel e 1% escolheria Lyra Neto. O total dos votos branco/nulo (35%) e os que não souberam/não responderam (24%) volta a crescer, atingindo 59%.

O último cenário abordado pelo levantamento modifica apenas o candidato do PSB, substituindo Lyra Neto, pelo secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar. Neste caso, Armando Monteiro seria eleito com 28% dos votos, em segundo lugar Daniel permaneceria com os 11% e Tadeu Alencar teria 1% da preferência. Por regiões o quadro no Recife seria novamente favorável a Coelho, com 18% das intenções e Armando receberia 13%, já Tadeu Alencar não obteria a quantidade de votos necessários para computar 1%. Em outras cidades da RMR, 25% da população é adepta ao senador, 17% escolheria Daniel e 1% votaria em Tadeu. Já no Sertão 41% escolheriam Armando, 3% Daniel e 1% o socialista. Com Armando, Daniel e Lyra se enfrentado, os entrevistados que optaram por branco/nulo e não souberam/não responderam chega a 60%.

Em uma análise sobre os dados da pesquisa, o cientista político Adriano Oliveira pontua que os candidatos do PT e PSDB são os mais bem posicionados na capital pernambucana. “Uma questão importante na pesquisa é que João Paulo e Daniel Coelho estão entre os favoritos no Recife. Essa questão deve ser bastante discutida entre os partidos, pois os prováveis candidatos ainda não têm tanta representatividade na capital”, comentou Oliveira.

Campos é o mais lembrado pelo eleitor –
Dos 2.423 pernambucanos ouvidos pelo IPMN a maioria conhece pouco o senador Armando Monteiro (PTB), 52%, enquanto 20% admitiram conhecer muito bem e 28% disseram nunca ter ouvido falar nele. Para 49% dos entrevistados João Paulo (PT) é pouco conhecido, 19% o conhecem muito bem e 32% não sabem quem o petista é. Sobre o tucano, Daniel Coelho, 11% das pessoas afirmaram saberem quem ele é, enquanto 48% o conhecem pouco e 41% nunca ouviu falar. Entre os socialistas o mais conhecido é Fernando Bezerra Coelho, 13%, e o que a maioria dos pernambucanos nunca ouviu falar é Tadeu Alencar, 68%. João Lyra Neto é bem conhecido por apenas 6% da população, 41% já ouviram falar dele e 52% o desconhecem.

20131028-004428.jpg

20131028-004447.jpg

20131028-004509.jpg

20131028-004530.jpg


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro