29 de maio de 2012 às 00h12min - Por Mário Flávio

Por 8 votos a 7, o universitário Paulo Tôrres (PTN), foi eleito o primeiro presidente do Parlamento Jovem de Caruaru. Mostrando muito poder de articulação, o jovem venceu Raffiê Dellon (PSDB). Logo após a eleição, os membros da Mesa Diretora tomaram posse. O processo de eleição ocorreu com os mesmos vícios de uma eleição para a Câmara Principal. Atraso de uma hora no início da cerîmônia, que começou por volta das 21h, a sessão transcorreu sem maiores complicações, tirando o fato de que antes de iniciar, já havia um pequeno desentendimento quanto à indicação de uma das vagas do parlamento. Segundo o representante do Movimento Estudantil Superior Privado, Eduardo Leal (PCdoB), presidente do DCE da FAFICA, houve a tentativa de indicar alguém ligado à base de oposição para a vaga que seria sua, o que supostamente iria favorecer o grupo encabeçado por Raffiê Dellon, que estava disputando a vaga de presidente do parlamento.

Votação lembrou Legislativo real, com atrasos e articulação nos bastidores

No entando, a indicação não deu certo, Eduardo assumiu sua vaga, e Paulo Tôrres, filho do vereador Lula Tôrres (PR), foi eleito presidente do Parlamento Jovem. Para Raffiê, o proceso foi rico, mas  o que incomodou apenas foi a alteração da indicação da vaga de última hora. “Reconhecemos a derrota, o processo foi errôneo. Tínhamos um integrante da Fafica, mas hoje foi trocado, mas isso foi alterado de  última hora, pois o presidente do DCE da FAFICA é filho de um assessor do vereador Lula Tôrres e de última hora Lula e Edmilson aprovaram a articulação de Eduardo Leal para substituir quem havia sido indicado incialmente, Carlos Eduardo, para a representação do movimento universitário privado. Mas, nós entendemos o processo e imaginávamos que a votação seria acirrada”, explicou o tucano.

 

Raffiê acredita que houve influência de Lula em alteração de vaga do PJ

Já Paulo Tôrres diz que não houve nenhuma forma de favorecimento ou influência de Lula Tôrres. “A votação foi realizada de forma adequada e foi um processo democrático, não houve qualquer forma de favorecimento. Eduardo Leal decidiu assumir uma vaga que ele considerou ser sua por direito, por ele ser presidente do DCE da Fafica, e ter sido convidado inicialmente para compor a vaga do Parlamento Jovem. Agora vamos nos reunir e definir metas para ampliar a discussão democrática entre os jovens que formam o parlamento, abordando temas ligado à infraestrutura e o desenvolvimento da cidade. Além disso, vamos discutir para que, na próxima composição, seja possível incluir representantes de mais movimentos de classe  no parlamento”, salientou. As reuniões do Parlamento Jovem ficarão determinadas para toda primeira quarta-feira de cada mês, ou seja as ações dos jovens vereadores começam no próximo dia 04 de junho.

Situações parecidas

Esse resultado lembrou a votação que elegeu Lícius Cavalcanti (PCdoB) presidente da Câmara, em dezembro de 2010, que teve uma contagem de votos acirrada, com empate até o último minuto, mas no final, o favorito, que era Adolfo José, não obteve. De certa forma, isso revela que o jovens vereadores começaram sua atuação com alguns dos mesmos vícios dos legisladores de fato: atraso, articulações de bastidores, politicagem e até gente insinuando que houve traição na hora de votar. Isso porque teria havido uma articulação entre os jovens da oposição e alguns representantes de movimentos de classe, para apoiar Raffiê, além da própria mudança de última na vaga do parlamento.

O que deve ser observado, contudo, é que o objetivo original do parlamento a exposição de debates que visem aproximar os jovens da vivência política de Caruaru, e não estimular o jogo político entre governistas e oposicionistas. Dessa forma, espera-se que, apesar dessa breve demonstração de forças entre situação e oposição; não haja uma distorção das metas desse projeto, e que não represente os mesmo erros de politicagem que o Legislativo real ainda precisa consertar.

 


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro