3 de março de 2018 às 18h58min - Por Mário Flávio

Em seu discurso de encerramento do XIV Congresso Nacional do PSB, o governador de Pernambuco e vice-presidente do PSB, Paulo Câmara, defendeu que o congresso é a “base da democracia interna”, elogiou a ampla participação dos militantes e filiados e ainda fez críticas ao atual governo federal.

“Vamos sair deste Congresso mais fortes, mais livres, mais alinhados com a nossa história e cada vez mais comprometidos com o Brasil e com a nossa gente”.

Câmara defendeu que o Congresso aconteceu em um momento crucial da vida brasileira. “Momento que todos que têm compromisso com o país estão intimados a tomar posição. Hora de afirmar e reafirmar o compromisso com a democracia e de deixar claro que não permitiremos nenhum retrocesso”, defendeu, lembrando dos líderes históricos do partido como João Mangabeira, Eduardo Campos, Antonio Houaiss, Miguel Arraes e Jamil Haddad.

O socialista afirmou que o povo brasileiro tem depositado a confiança no PSB, permitindo que o partido tenha ampliado e conquistado a administração de cidades e estados, “Confiança a gente retribui com trabalho, dizia o nosso Eduardo Campos, um trabalhador incansável. E confiança a gente retribui com coerência e firmeza, disse e demonstrou na prática, nas horas mais adversas, o ex-governador Miguel Arraes”.

Foto: Humberto Pradera

Câmara reafirmou que o PSB não concorda com a forma como o Brasil vem sendo governado. E  espera que o processo eleitoral neste ano feche o ciclo de “instabilidade política, econômica e administrativa que tem causado sérios prejuízos ao país e ao povo” .

“É nosso dever ajudar o Brasil e recuperar a capacidade de gerar riquezas, emprego e renda, e, deste modo, preservar as políticas sociais conquistadas ao longo de muitos anos de luta política e mobilização social”. “O nosso PSB não tem como concordar com o desmonte das conquistas sociais obtidas com muita luta pelo povo brasileiro”, complementou. Disse ainda que é inaceitável a privatização de empresas públicas, como a Chesf, com a entrega da gestão do Rio São Francisco a interesses privados.

Ele reafirmou que o PSB tem desejo e capacidade de promover mudanças efetivas que “colocam vida na vida dos que mais precisam”, citando Campos. O socialista ainda defendeu que o PSB tem feito uma educação pública de qualidade. “Estamos oferecendo exemplos claros de quem assume compromissos e cumpre, recebe demandas do povo e entrega o prometido.Queremos continuar sendo o partido que cuida para que as pessoas tenham presente e futuro com conforto material e segurança para bem viver”.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro