7 de outubro de 2013 às 16h25min - Por Mário Flávio

Tony Gel2

Um das surpresas do fim do período de filiação partidária foi, em Caruaru, a saída do vereador Demóstenes Veras da liderança do governo na Câmara Municipal e sua ida do PSD para o PTB, em busca de mais espaço no palanque eleitoral do próximo de 2014, junto ao pré-candidato Armando Monteiro. O deputado estadual Tony Gel, que recentemente saiu do DEM para o PMDB, tratou de avaliar essa decisão de Demóstenes como uma alternativa confortável, em meio a problemas enfrentados pela gestão Zé Queiroz.

“Vou para a dedução. Imagino que Dr. Demóstenes estava em uma situação desconfortável. Um situação de ter a obrigação de defender o indefensável. Não dá pra ir à tribuna e defender um PCC famigerado que foi aprovado, defender que o governo está certo ao retirar garantias dos professores e diminuir gratificações. Mas eu tenho informações de que há algumas semanas o vereador não ia à tribuna para fazer defesas do governo. Ele como médico, também, acho que estava numa situação insustentável de defender um governo que deixa bebês recém-nascidos morrerem na Casa de Saúde Bom Jesus, parturientes, motivos inclusive de investigações. O Dr. Demóstenes encontrou uma saída honrosa. É isso que eu deduzo, não cheguei a conversar pessoalmente com ele, mas acredito que ele vai dormir muito mais tranquilo agora”, analisou.

Tony também reforçou que sua saída para o PMDB não tem a intenção de puxar vereadores do Democratas. O vereador Louro do Juá, por exemplo, garantiu que permanecerá no DEM, apesar de seguir orientações de Tony e Miriam Lacerda. “Não há nenhuma necessidade de ele buscar um outro caminho agora, eleição municipal só daqui a 3 anos, tem tudo para que o quadro seja diferente. Além disso, minha ida para o PMDB não tem como objetivo desfalcar o Democratas, trazendo vereadores para o partido”, ressaltou.

Já sobre quem deve ficar na presidência do DEM em Caruaru, ele ponderou que deixou a Executiva Estadual à vontade.”Essa conversa eu tive com o presidente Mendonça Filho e na hora em que você sai do partido você deve deixar a Executiva Estadual à vontade para escolher o novo presidente. É claro que se ele quiser sugestões, ou manter uma parceria, vamos aceitar, me coloco à disposição de Mendonça Filho, até porque é um amigo, com quem tenho excelente convivência”, completou.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro