22 de maio de 2012 às 16h37min - Por Mário Flávio

Finalmente aconteceram as prévias do PT e o candidato a Prefeito de Recife será mesmo o nosso atual prefeito João da Costa. O risco de termos o resultado democrático das urnas, onde mais de 15 mil filiados participaram, alterado pela Direção Nacional do PT é mínimo.

O que vemos do grupo derrotado é mero choro de perdedor. É, como diríamos no meio jurídico, o “jus esperniandi”, ou seja, o direito de espernear, mais nada. Foi um fim de semana de extrema campanha militante. Estava em jogo dois projetos de PT bem distintos entre si.

Por um lado o PT das estrelas, das grandes personalidades, dos figurões, dos caciques, da elite partidária. Nesse grupo víamos senador, deputados federais, deputados estaduais, vereadores, enfim, grandes personalidades! Do outro lado estava o prefeito que pleiteia a reeleição, João da Costa – PT, sendo apoiado pela base militante de filiados e filiadas componentes da grande maioria das 18/19 tendências internas existentes no PT da capital.

É lógico que dentre esses militantes contamos com o apoio essencial de companheiras/companheiros de mandato, tais quais a deputada estadual Tereza Leitão e o deputado federal Fernando Ferro. O resultado, apesar de não divulgado oficialmente por decisão judicial, é de conhecimento de todos: Vitória de João da Costa. A diferença de menos de 600 votos, num universo de 15 mil votantes, apenas reforça nossa tese de que foi uma batalha ferrenha e que a democracia interna saiu vencedora.

Agora a luta segue para assegurar no Diretório Nacional a vitória nas urnas de cada militante/filiado do PT Recife. Podemos dizer que foi a vitória de quem sempre acreditou que as decisões partidárias não se dão em gabinetes, mas ouvindo as bases, os filiados, os militantes.

Portanto, a pequena diferença não reflete o tamanho da vitória de João da Costa e da base militante do PT Recife. Quando nos deparamos com o poder midiático das figuras que tentavam desqualificar o debate e que acabaram levando o PT e o prefeito ao desgaste de prévias despolitizadas, vemos que foi muito maior a vitória do que o resultado que saiu das urnas ao final do pleito.

Agora, apesar de tantas arestas, é tarefa de cada petista envidar esforços para que as fissuras não tomem proporções ainda maiores. É hora de juntar os cacos e mostrar que nossa forma de ver a política não é personalista ou fulanizada. É hora de vestir a camisa de nosso candidato na capital e chamar todos os demais partidos da Frente Popular a engrossar esse cordão, não permitindo que os conservadores da direita (nossos reais adversários), retomem as rédeas da administração municipal, pois, se assim vier a ocorrer, a derrota será de todas e todos que ao longo desses últimos 11 anos virão o Recife se transformar com gestões voltadas para o bem estar do povo (primeiro com João Paulo e agora com seu sucessor, João da Costa.

Não entendo como alguns que se dizem militantes (na verdade mais parecem militontos) são capazes de defender pronunciamentos raivosos e provocativos pós pleito, que, ao invés de rejuntar tentam separar. Os verdadeiros petistas estaremos unidos em mais essa batalha contra o que tem de mais atrasado na política pernambucana.

A vitória de João da Costa nas prévias do PT nos dá a certeza de que o PT não tem donas, donos, ou melhor, tem donos sim, somos todas e todos, filiadas e filiados, que ajudamos a construir o maior, melhor e mais amado (e odiado também), partido político da América Latina. Posso afirmar com orgulho militante que “eu estive lá e participei dessa grande primeira vitória, já que a definitiva será em outubro).

A luta continua. Vida longa ao democrático Partido dos Trabalhadores. Nosso Prefeito na capital é João da Costa. Nosso candidato será João da Costa. É isso. E tenho dito.

Adilson Lira é Advogado e militante do PT


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro