22 de março de 2012 às 08h00min - Por Mário Flávio

É com grande pesar, mesmo depois de ter soltado diversas gargalhadas, que eu escrevo essa nota. Há de se preocupar com a juventude em geral. Não falo apenas dos adolescentes ou jovens de faixa etária até os 25 anos. Esses são preocupantes também, pela própria massificação do besteirol a que eles se expõem e gostam. Mas a uma grande parcela de adultos, com mais de 25 anos, mais de 30 anos, que acreditam em tudo que se lê, principalmente na internet. São milhares de fotos, imagens, montagens que circulam pela grande rede mundial de computadores.

Algumas dessas tem o único propósito de divertir, outras de desinformar. Ocorre que em redes sociais, qualquer pessoa pode criar um perfil, sem que haja uma verificação de “se a pessoa é real” ou “se é o perfil pertence à pessoa que se refere”. Outrora no Orkut criou-se durante um bom tempo o costume, pra não dizer a mania, de se criar perfis “fakes”, falsos. Seja de um ator, cantor, famoso ou não. Essa mania, geralmente incentivada pelos “acreditadores” chegou ao Facebook em forma de compartilhamento.

Uma ferramenta interessante da rede que permite que você distribua uma informação que não é originalmente sua, para os seus contatos. Entretanto, não apenas em Caruaru, no geral, o brasileiro não sabe usar. Compartilha aquilo que ele pensa ser engraçado, aquilo que ele pensa ser verdade. Sem sequer se permitir duvidar. Enquanto essas bobagens se mantêm nas redes sociais, tudo bem. Quando elas ultrapassam as rede sociais, é que preocupa. Recentemente, uma programação falsa do São João de Caruaru vem sendo divulgada incessantemente no Facebook. Começou em forma de postagem e agora tomou forma de uma imagem, com “uma logomarca” falsa também. A brincadeira ainda tem o mesmo sentido pela qual ela foi originalmente criada, porém, por conta dos “acreditadores” e “compartilhadores”, ganhou uma nova função: “Difamar a Prefeitura de Caruaru”.

Eu posso me considerar uma pessoa capaz de falar sobre a finalidade da falsa programação, uma vez que fui eu quem criou a postagem, no dia 08/03/2012, por volta das 22h. A minha timeline pode comprovar isso, inclusive, os comentários que acompanham a postagem, por si só explicam que tudo ali não passa de uma brincadeira. A brincadeira em questão foi uma piada não com a Prefeitura de Caruaru ou com a Fundação de Cultura, ou mesmo com qualquer integrante delas, apenas foi uma forma que eu me utilizei para “tirar uma onda” com os jovens (tolos) que estavam vibrando com um boato de que Ivete Sangalo viria fechar o São João de Caruaru. Esse boato eu não inventei, nem sei quem inventou. O que eu fiz? Juntei todos os boatos e formatei.

A programação de tão estúpida, não merecia mais que 2 minutos de atenção para ser percebida a inverdade da coisa. A quantidade de bandas que não pertencem ao folclore junino e a falta dos artistas de nome regional e nacional, que são as verdadeiras, também mostrava que não havia a menor possibilidade daquilo acontecer. Mas, como eu disse a minha esposa, Rosinha Alcantara, minutos antes de publicar, quando ela disse que ninguém iria acreditar naquilo: “acreditadores, acreditarão”! E, pra minha surpresa, nem demorou muito para que eles começassem a acreditar. Na sexta feira a tarde, eu vi na timeline de Júnior Nayara um comentário de Lucas Ximenes, sobre a programação. Então ali eu percebi que “o vírus” havia se espalhado.

Logo conversei com Lucas e expliquei a brincadeira. Entretanto, combinamos de deixar ver até onde isso iria, porque era engraçado, tantos jovens achando verdade algo assim. Procurando saber de onde tinha surgido o foco, pois a postagem já era um tanto diferente da minha, já tinha uma imagem, a qual eu não postei, achei o perfil de uma pessoa que atende por Roberto Guimarães, o qual viu a minha postagem, copiou e colou como sendo uma postagem dele. No momento em que vi o perfil dele já constavam mais de 10 compartilhamentos. Espalhou-se tão rápido quanto um vírus. Na mesma sexta feira a tarde eu fiquei sabendo por minha cunhada, Roberta Monalizza, que um blogueiro havia citado a falsa programação.

Ao chegar em casa, visualizei o blog de Mário Flávio e vi que realmente havia uma citação e que o mesmo dissera em seu blog que estavam tentando difamar a prefeitura. Eu ri. Depois não achei graça nenhuma. Inclusive na mesma sexta, à noite conversei com Igor Maciel, contei a ele a estória e disse que caso surgisse na pauta algo assim, ele já saberia noticiar. Não sou oposição, não sou situação. Não tenho pretensões políticas e a maior afinidade com política que tenho são alguns amigos, que por ironia são do lado de José Queiroz. Nem fiz a piada com intenção de macular a imagem do São João ou da Prefeitura. Mas sim, com os “compartilhadores” de boatos que já tomavam conta, antes mesmo, com uma confirmação de Chiclete com Banana no São João de Caruaru, que foi divulgada através do Facebook.

Embora eu goste e vá para o show do Chiclete com Banana no Pátio de Eventos, eu continuo dizendo que eles não têm nada a ver com o São João, porque embora tenham gravados dois discos de “forró”, eles dedicam a maior parte do show deles ao ritmo que os consagrou, o axé! Já não bastasse trazer Chiclete, trouxeram Gian e Giovanne ano passado pro dia dos namorados do ano passado e ainda havia jovens vibrando com o boato de que Ivete Sangalo fecharia o São João. Independente das capacidades de Ivete se moldar ao evento, tal qual Margareth Menezes, os vibradores que curtiram o boato são os mesmos que curtiram a falsa programação e que ainda curtem e, compartilham! O que me levou a pensar que essas pessoas não querem um São João; elas querem um festival qualquer, um Festival de Junho, com artistas de vários gêneros musicais, indo de Parangolé a Jorge e Mateus.

Não tenho o interesse em criticar o gosto de ninguém, mas respeitem ao menos o São João. Como bem citou o Sociólogo Alberto Torres: “Diversidade cultural: às vezes o termo não cabe em certas festas populares”. Se a coisa se compartilhou ao ponto de atingir algumas pessoas ligadas à Prefeitura, ao ponto de por duas vezes ser postado no mesmo blog de Mário Flávio que estavam “tentando” atingir a Prefeitura de Caruaru, não foi a intenção inicial e não se pode colocar o dedo para cima das pessoas que fazem a oposição. Com relação aos perfis falsos, a estória é outra e não cabe a mim fazer juízo de valor aqui. Uma brincadeira só tem graça, enquanto é uma brincadeira. Quando os “acreditadores” se tornam pessoas que levam para fora das redes sociais aquilo que nem de longe se parece verdade, começa a preocupar. Pensem nisso!

Adilson Vieira é Funcionário Público


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro