28 de fevereiro de 2012 às 09h30min - Por Mário Flávio

Adoro ler! Confesso que leio até bula de remédio, mas passei batido quando recebi no meu email essa história de “política de privacidade do Google”. Nem lembro o que pensei na época, mas levei um susto quando estava pesquisando outras coisas na internet e vi a repercussão que está acontecendo no mundo sobre este assunto.

Explico: a nova política de privacidade entra em vigor, em todo o mundo, agora no dia 1º de março. Na prática, todos os seus dados serão armazenados e coletados de uma só forma. Isso significa que se você estiver no Gmail, por exemplo, e escrever sobre alpinismo, sua próxima visita ao YouTube poderá ter uma sugestão de vídeo sobre o assunto. Há, no entanto, combinações mais perigosas: usuários do Google Latitude terão seus dados de localização colhidos e utilizados em outros serviços — o mesmo para americanos que usarem o Google Wallet como carteira virtual.

Como consequência da unificação de dados dos usuários, o Google não precisa mais de várias políticas de privacidade para diferentes produtos. Agora, ele possui apenas um produto – você – então só precisa de um documento de termos de serviço e política de privacidade para explicar como usa seus dados para melhorar os serviços e lhe fornecer anúncios. Para o usuário do Google, fingir que leu apenas dois contratos vai ser bem melhor do que fingir que leu dúzias. Para o lado da empresa, esta unificação poderá dar mais informações pessoais para serem “aproveitadas” para as campanhas publicitárias, trazendo benefícios econômicos para a Google.

O Centro para Democracia Digital dos Estados Unidos apresentou uma reclamação a Federal Trade Commission (FTC), na qual solicita que o Google seja processado para eliminar a nova política de privacidade e multado. Caso isso ocorra, a FTC pode impor multas de mais de 16 mil dólares por dia para cada violação.

Essa burocracia ainda está rolando, mas independente do resultado, por garantia, você tem até 29 de fevereiro para apagar o histórico de navegação, que vai limitar a extensão dos tópicos acompanhados pelo Google, que pode incluir os seus “segredos virtuais”.
Veja os três passos abaixo:

1 – Acesse a homepage do Google e faça o login em sua conta de email. Após isso, clique em cima do login na home para habilitar um menu. Entre na opção “Configurações de Conta”.

2 – Encontre a sessão “Serviços” e o link “Veja, ative ou desative o Histórico da web”. Clique em “Acessar Histórico da Web”.

3 – Na próxima página, clique na aba “Remover todo o histórico da Web”. Desabilitar o histórico não evita que o Google use os dados para fins internos, mas a empresa irá torná-los anônimo em 18 meses. Além disso, a busca personalizada é desativada. Mesmo que o usuário não esteja logado em seu email, o Google pode traçar o seu perfil pelo IP do computador. Logo, a forma mais segura de limpar um histórico pessoal é logando-se a sua conta. É como dizem por aí: “Seguro morreu de velho”.

*Conceição Ricarte é jornalista, com pós graduação em Assessoria de Imprensa, Chefe de Redação da Rádio Cultura do Nordeste, analista de social media e apaixonada por internet e tecnologia.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro