15 de novembro de 2012 às 08h55min - Por Mário Flávio

O Diário Oficial da União – DOU, do dia 13/11/2012 trouxe uma publicação, ao nosso ver preocupante, o estatuto e o programa da nova Aliança Renovadora Nacional (ARENA), do documento se extraí a ideologia dos fundadores do novo partido que em breve requererá junto ao Tribunal Superior Eleitoral seu registro (caso consiga assinaturas necessárias em pelo menos nove Estados), segundo o documento, a Arena “possui como ideologia o conservadorismo, nacionalismo e tecno-progressismo, tendo para todos os efeitos a posição de direita no espectro político; devendo as correntes e tendências ideológicas ser aprovadas pelo Conselho Ideológico (CI), visando a coerência com as diretrizes partidárias”. Bastaria apenas isso para me lembrar da Ditadura e do Comando de Caça aos Comunistas!

De forma explícita o documento coloca ser avesso aos movimentos de esquerda: “em respeito à convicções ideológicas de direita, não coligará com partidos que declaram em seu programa e estatuto a defesa do comunismo, bem como vertentes marxistas”. A publicação é parte das exigências da Lei 9.096/95 fundaçaõ e posterior registro de um partido político no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A idéia de refundar a ARENA é da acadêmica em Direito Cibele Bumbel Baginski, de Caxias do Sul (RS), na serra gaúcha e segundo informações publicadas na imprensa há dentre os coordanadores do movimento “Pró fundaçãod a ARENA” remanescentes da extinta ARENA. Em tempos de democracia há os saudosistas da ARENA criada em 1965 para dar suporte a insipiente ditadura militar.

Aos mais novos e que tiveram a sorte de não viver aquele período ditatorial registramos que só existiam duas agramiações políticas reconhecidas pelo governo militar: a ARENA (Aliança Renovadora Nacional) que dava apoio ao governo militar e o MDB (Movimento Democrático Brasileiro) que resitia como podia dentro das regras do sistema, todos os damais partidos foram colocados na clandestinidade e seus líderes presos ou exilados.

A ARENA (04/04/66 a 29/11/1979) foi fundada por membros da UDN – União Democrática Nacioal e do PDS (Partido Social Democrático); com a extinção a ARENA em 1979 seus membros refundam o PDS (Partido Democrático Social), o qual de uma divisão surge a Frente Liberal que apoia Tancredo Neves e nove dias após a sua eleição a frente funda um novo partido o PFL (Partido da Frente Liberal), essa sigla é usada por mais de 20 anos até que Jorge Bornhausen diz que “PFL” era um nome provisório; na verdade a sigla queria mudar o nome e esconder seu passado e se tranforma em DEMOCRATAS com o slogan “Partido das novas idéias”, não funcionou!

Após as eleições de 2012 o partido caminha rápidamente para extinção ou fusão com outra sigla, porém, neste meio tempo, enquanto aguarda uma solução, viu reduzido seu poder e representatividade e a fuga de seus membros.

Tudo isso para mostrar que o conservadorismo, a direita rancorosa e saldosista dos tempos da ditadura nunca esteve fora do cenário político nacional e enquando o DEM(ocratas) está moribundo a direita já se articula para refundar a ARENA, com a mesma política conservadora, excludente e perseguidora de outrora.

Na mitologia hidra era um mostro sete cabeças que ao se cortar uma, duas outras nasciam no lugar, hercules a muito custo e com a ajuda de Minerva derrotou o mostro, porém, esse trabalho não contou a seu favor, pois teve ajuda.

No Brasil, Lula achou que tinha derrotado a ARENA, porém, ainda vai precisar de ajuda, a exemplo de Hercules para cumprir tal tarefa, pois, “a luta continua….”

*Clóvis Santos- É advogado membro do Diretorio Municipal do PT/Caruaru e da Comissão de Direito do Trabalho da OAB/PE.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro