28 de agosto de 2017 às 08h36min - Por Mário Flávio

A afirmação é de Frei Betto, escritor, durante o 14º Encontro Nacional de Moradia Popular, promovido pela União Nacional de Moradia Popular no início deste mês. Presença de lideranças de movimentos de moradia de praticamente todo Brasil, incluindo um grupo de lideranças do movimento de Pernambuco e Caruaru. Betto também pediu por unificação e melhor articulação entre os movimentos populares.
Próximo de completar sua maior idade o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) Pernambuco enfrentou nos primeiros anos muitos conflitos e dificuldades no enfrentamento com poder público para conscientizar do caos que havia pela falta de uma política habitacional séria e eficiente para os mais carentes. Atualmente, após milhares de residências entregues às famílias de baixa-renda ou sem renda, o movimento passou a ser visto de outra forma, recebendo solidariedade e respeito. Chamando a atenção de outros municípios que vem à Caruaru conhecer a bem sucedida experiência dos trabalhos desenvolvidos nesta área de moradia.

Diante destes novos desafios que a nação enfrenta e com o abandono e afastamento dessas tarefas nos núcleos de base pelos partidos de esquerda e centro-esquerda, o caminho do povo deve ser retomado. Isso precisa ser uma prática constante e não apenas para fins eleitoreiro.

Acontecimentos como o que teremos neste domingo, 27, no Alto do Moura, quando será realizado mais um mutirão com cerca de cem famílias que estão prestes a receber suas casas (outras cem já receberam) e são beneficiárias pelo movimento, coloca essa forma de trabalho para além do que se pensa sobre um projeto de moradia, é um novo conceito de cidade possível. Lá estarão presentes além da liderança local e estadual do MTST, pessoas detentoras de cargo executivo e legislativo de prefeituras e outras autoridades.

Já no início de setembro lideranças locais do movimento vão participar de uma formação de alcance estadual, cumprindo assim o chamamento contínuo de preparo para ação. Teoria e prática andando juntas. Sendo a moradia um direito fundamental a vida, a ausência desse direito é também ameaça aos direitos humanos. O MTST proporciona através da mobilização social habitações de qualidade reduzindo o déficit habitacional e formando cidadãos conscientes de seus direitos e deveres, podendo desembocar em outras pautas que avance se concretizando na cidade que queremos construir.

*Paulo Nailson é militante social, membro da direção municipal do PCdoB.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro