2 de abril de 2012 às 08h30min - Por Mário Flávio

Vergonha de como o DER vem tratando as questões relacionadas a BR 104. Lembro quando fiz uma reportagem no Comitê Gestor e apresentaram o projeto, perguntei a um representante do Departamento de Estradas de Rodagem como ficaria a passagem dos pedestres durante a obra, já que em nenhum momento tinham falado sobre isso, escutei a seguinte resposta: “a medida que os problemas forem aparecendo, vamos resolvendo.” Ôpa e o planejamento?! Allou, confere produção?

Parecia que eu estava adivinhando! A cada mudança no trânsito, lá vai a gente fazer matéria com as pessoas reclamando que não tinha calçada para andar, que as paradas de ônibus estavam mal localizadas… Enfim, mas o pior estava por vir. Com a liberação dos viadutos, que na boa, HOJE só é bom para quem está passando por Caruaru (no momento os ônibus que estão indo para o espetáculo da Paixão de Cristo em Nova Jerusalém porque o trânsito continua intenso nas vias locais), a “tragédia anunciada” (tá eu sei que é clichê) aconteceu! Os pedestres foram esquecidos, não há a menor possibilidade de atravessar com segurança de um lado para o outro da rodovia.

A recomendação é passar por baixo dos viadutos, inclusive escutei até um carro de som lembrando isso, mas são apenas quatro viadutos, não são suficientes, a distância é grande entre um e outro… e os alunos, professores e pais e mães que têm a necessidade de ir ou sair do colégio Elisete Lopes? E os estudantes e moradores que precisam passar das Cohabs, Três Bandeiras para o Colégio Municipal? Os trabalhadores? Priorizaram os carros e esqueceram das pessoas. Dividiram a cidade ao meio que tá mais parecendo a Muralha da China, a impressão que dá é que o projeto foi feito nos escritórios lá no Recife e não avisaram que nesse trecho de Caruaru têm bairros de um lado e do outro da Rodovia, diferente de quando a 232 foi duplicada.

Ahh outra coisa.. as carretas que vierem no sentido Toritama-Caruaru para pegar a PE-95 (Riacho das Almas) vão ter que fazer o retorno embaixo do viaduto da Agamenon Magalhães, tendo que pegar a via local? Cadê o retorno engenheiro?! Voltando a situação da travessia. Quando as pessoas reclamam que está difícil atravessar o DER responde: É preciso formalizar a reclamação junto ao órgão para ver o que pode ser feito? Hãn? Estudo? era pra vocês terem feito isso durante o projeto. O caruaruense (que não tem carro) vai ter que ir no Recife lembrar de uma coisa, que vocês deveriam ter imaginado, antes? Essa obra foi muito cara, estamos com mais de ano de prazo vencido para a finalização, tendo muita paciência e vocês vêm com uma resposta dessas? Mais uma vez repito, cadê o planejamento? Espero que com o término, tudo isso tenha sido sanado, porque já estou imaginando a quantidade de protestos com pneus queimados, iremos cobrir por causa de atropelamentos e solicitações de passarelas!

Sei que essa duplicação é importantíssima para a economia e desenvolvimento da região, mas por favor não deem a impressão de que ela teve fins meramente “eleitoreiros”, pensem nas pessoas! Políticos de Caruaru, se movimentem! Vereadores e deputados, cadê vocês??? Comitê Gestor se pronuncie!! Jesus! estamos sós!

*Renata Torres é jornalista


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro