12 de setembro de 2012 às 14h49min - Por Mário Flávio

Em ano eleitoral ouve-se sempre o mesmo discurso: eu vou fazer isso, eu vou fazer aquilo etc. e quando se tenta a reeleição a ladainha é: eu fiz isso, eu fiz aquilo, ele não fez nada… discurso retrógado, sem pôr em pauta problemas atuais, como se não fosse obrigação do executivo cuidar da cidade.

O Turismo, enquanto forte atividade econômica muitas vezes fica em segundo plano, quando entra no debate ou tem sua visão distorcida à organização de eventos e festas.
Caruaru vem sofrendo, ao longo de 12 anos, um fantástico desgaste na sua importância como Núcleo Receptor Turístico e perdendo posição nos cenários nacional e internacional.

O que foi feito para o segmento nesses últimos anos? Nada ou quase nada. Ações no Turismo devem ser pensadas a médio e longo prazos e parece-nos que nossos governantes são mais inclinados a obras de impacto visual ou paternalista. A Câmara Municipal também tem a sua parcela de culpa porque não legisla, cobra ou fiscaliza concretas ações na área.

A discussão que estamos a assistir no Guia Eleitoral dos principais candidatos ao cargo executivo de nossa cidade passa bem longe de envidar esforços para resgatar os fluxos turísticos perdidos nesses anos de magros investimentos e projetos repetitivos ou inócuos para o setor.

Muito embora, vale-se ressaltar, contamos com excelentes profissionais na Fundação de Cultura e Turismo da cidade, mas que nada podem fazer porque precisam de vontade e prioridade política. Não basta falar que apoia o Turismo tem que agir.

Temos que pensar politicamente: que tipo de cidade turística nós somos? O quê queremos para o futuro? O que se nos apresenta o candidato em seu plano de governo? Dá a este segmento a necessária e merecida prioridade nos planos de ações que permitirão a conscientização, especialização e preparação da população em geral para receber bem o turista?

Para que assim a cidade possa usufruir dos benefícios que o mesmo traz para todos os outros setores da economia municipal direta e indiretamente relacionados, da melhoria da infraestrutura e dos equipamentos e serviços turísticos, passando pela captação de eventos para a cidade, gerando empregos e consolidando a vocação natural de Caruaru no segmento.

Vamos aguardar para ver se sai algo mais consistente e comprometido, nada de obras faraônicas e despesas gigantes com festas em pátios, desvalorizando o que nossa cidade tem de diferencial: as manifestações da cultura, que lhe dá, dotando-a de uma marca, um verdadeiro item que a torna indiscutivelmente diferente dos demais produtos turísticos nordestinos – tão homogêneos pelos seus aspectos culturais, tropicais e tradição histórica.

Moisés Feitosa Bonifácio
Turismólogo, Guia de Turismo, Agente de Viagens e Professor.
moises_bonifacio@yahoo.com.br


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro