2 de agosto de 2013 às 11h55min - Por Mário Flávio

O Pensador Gabriel já perguntava há alguns anos:

“Até quando você vai levando? (Porrada! Porrada!!)
Até quando vai ficar sem fazer nada?”

Já relatei o problema e ratifico que não se pode ficar omisso diante de um escabroso abandono que o Pontão de Cultura da Feira de Caruaru atravessa. E diante do fato, mais um acontecimento entristece e enoja a falta de sensibilidade de quem exerce cargos públicos e que deixa de atender as demandas que a sociedade exige que sejam cumpridas. Quem acessar o site www.pontaodeculturadafeira.com.br produzido pela Prefeitura de Caruaru se depara com o que há de mais vil num governo que teima em transformar em real aquilo que só existe no virtual.

Tudo o que nele está descrito como montado, produzido ou realizado não corresponde nem a 30% da realidade dos fatos. O grande mal de um gestor público é, de fato, achar que o povo não tem memória. Quando “estamos” governo uma das ferramentas para um bom trabalho é o diálogo. O que se vê nestes tempos de violência cultural, as conferências de um público só, servem de fachada para uma gestão desastrosa e incompetente.

Por desastrosa, todos já sabemos, passa pela falta de ação com a produção cultural de uma cidade que a vive intensamente fora dos limites governamentais. Qual foi mesmo o último espetáculo de Teatro, de Dança ou Música com apoio da prefeitura ou da Fundação de Cultura? Perguntem aos produtores e todos responderão a uma só voz: ”Não sabemos!”. Desta forma, não se consolida nada. Não se espelha o que toda essa classe artística produz de concreto elevando o nome de Caruaru para o país. Da completa descaracterização do nosso São João, passando pela destruição de bens culturais e desaguando no desrespeito aos artistas.

Encontro nas tentativas de resposta da prefeitura uma prática do lulo-petismo de insistir nas mentiras que beiram o fascismo. No Pontão, a ausência de estúdio de gravação e ilha de edição, somada a devolução (isso mesmo, devolução!) de dinheiro ao governo federal, assina em letras colossais um grande atestado de incompetência. Mas como aquilo que está ruim ainda pode piorar, há exatas duas semanas que o local está sem energia elétrica, mesmo com um “investimento” em sua infraestrutura de R$ 150 mil. Inverdades como essa, de fato, não serão esquecidas pelo povo. Serão cobradas com juros e abandono.

Ah! E ofereço três tópicos ótimos para debates:

1. Produção Cultural 2001 a 2008 X Produção Cultural 2009 a 2013

2. Biblioteca Pública na Casa de Cultura X Biblioteca Pública na estação ferroviária

3. 7 anos do Memorial de Caruaru X 5 anos do Pontão de Cultura

*Claudio Soares é produtor cultural


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro