6 de agosto de 2012 às 07h30min - Por Mário Flávio

O jogo seria muito mais fácil se apenas duas candidaturas disputassem a eleição em Caruaru. Mas, quis o esforço daqueles que fundaram o PSOL que a história hodierna de Caruaru fosse contada de forma diferente.

É sempre bom haver equilíbrio nas decisões. Cooptaram quase todos os partidos. Os “herois da resistência” foram o PSOL e o PPL, a saber, Partido Socialismo e Liberdade, e, Partido Pátria Livre, que juntos formaram a coligação Caruaru Pode Mais – Por um Socialismo de Verdade.

Para estes dois não houve persuasão e nem conto que desse jeito. Primeiramente, o PSOL é uma agremiação partidária muito nova e a intervenção da nacional na estadual só acontece em caso raro e a estadual sempre respeita a decisão da municipal, mormente, quando o esforço é para crescimento do partido.

Vamos nos fazer presente na história viva de Caruaru e sempre que se reportarem à eleição 2012, o PSOL estará presente nas crônicas, alfarrábios e anais da cidade do mestre Austregésilo de Athayde.

Não nos preocupamos o que pensam de nós. Nos preocupamos sim, com que nós pensamos de nós mesmos, pois a isto chamam caráter.

Não adianta fazer pressão. A candidatura está posta e nós a levaremos até o fim. Um partido que tem Heloisa Helena como fundadora e Randolfe Rodrigues, como seu atual ícone de combate à corrupção, não pode se deixar abater por forças que de toda sorte ousam lhe impedir a caminhada.

Longe de nós compactuarmos com dirigentes partidários que obstacularizam candidaturas legítimas de seus correligionários. Uma pena que os filiados e militantes de certos partidos sejam massa de manobra, como assim o é, uma boa parte da população votante brasileira.

O fato é que ficou muito mais enriquecido o debate com três assentos do que com apenas dois. Fábio José teve o condão de salvar o primeiro debate político levado ao ar em Caruaru na presente eleição.

Mesmo sendo oposição foi-lhe pedido que não se misturasse. Mesmo apontando falhas gritantes do governo de então, foi-lhe implorado que se tornasse maleável com a atual administração.

O jogo está em pleno andamento. E ninguém sabe como o grande juiz chamado povo irá julgar no dia 07 de outubro. Não adianta fazer promessa para os santos e nem tirar fotos com autoridades estaduais e federais, pois em última instância quem definirá o placar será o último voto, da última urna.

Estamos tranquilos. Temos a candidatura mais jovem deste pleito e também a única oriunda do proletariado. Se pobre votasse em pobre nós já estaríamos eleitos, até porque os menos abastados formam a grande maioria que detém o poder de decisão. Paulatinamente, a consciência popular vai se tornando mais palpável. Não pretendemos governar sozinhos.Certamente, nesta única, ímpar e rara oportunidade, o povo haverá de se acordar e mostrar a eles com quantos votos se faz um prefeito e que a esperança popular se renova a cada manhã.

*Severino Melo – Membro da Academia Caruaruense de Cultura, Ciências e Letras – Mantenedor do Ateliê Literário – Candidato a vice prefeito de Caruaru pelo PSOL. severinomelo.psol.50.caruaru@gmail.com


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro