27 de novembro de 2013 às 18h25min - Por Mário Flávio

20131127-160050.jpg

Por Conceição Ricarte

Foi realizado nesta terça-feira (26), na sede da OAB/Caruaru, um debate sobre o papel das instituições na reforma política e no projeto eleições limpas. O evento foi promovido pela Subseccional caruaruense e pela Comissão de Direito Eleitoral da OAB/PE. Estiveram presentes advogados, analistas e cientistas políticos e pessoas que se dedicam a discussão política na cidade.

A mesa de debate foi composta pelo presidente da OAB/Caruaru, Almério Abílio, o vice-presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB Nacional e da Subcomissão de Reforma Política, Carlos Neves, o presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/PE, Leucio Lemos Filho, o presidente da OAB/Garanhuns, Paulo de Lima Couto e o advogado especialista em direito eleitoral, Marcelo Cumaru. A capital do agreste é a segunda cidade pernambucana que discute sobre o tema, que envolve mais de 100 entidades da sociedade civil num projeto de lei de iniciativa popular que busca ampliar a liberdade de expressão, vedar as doações eleitorais por empresas e adotar um sistema eleitoral mais transparente.

“No Brasil, apenas três leis foram criadas através da iniciativa popular. Precisamos, primeiramente, modificar o pensamento da população. Através de discussões como esta é que podemos pensar em algum tipo de mudança para o futuro político do país”, disse o vice-presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB Nacional, Carlos Neves. Em quase três horas de conversa, temas como eleições 2014, reeleição, partidos políticos, cotas, participação da mulher e democracia de forma ampla rendeu um acalorado debate. “A discussão é sempre válida, mas é preciso haver uma lei de cotas verdadeira, com proporcionalidade. Pouca gente sabe, mas o Brasil é o pior país, na América do Sul, no que diz respeito ao espaço da mulher na política”, defendeu a representante da comissão de cidadania da OAB/Caruaru e cientista política, Perpétua Dantas.

A sociedade é chamada para exercer seu dever de fazer chegar aos parlamentares sua indignação com a atual situação, apresentando uma alternativa democrática de superação. “Precisamos debater a política nacional e criar mecanismos que proporcionem as mudanças que a população quer. A contribuição da Ordem é fundamental para a reforma política e a consciência política dos cidadãos. A grandeza deste debate responde a nossa persistência em realizar este tipo de evento”, finaliza o presidente da Ordem caruaruense, Almério Abílio.

A próxima cidade a discutir o projeto “Eleições Limpas”, será Serra Talhada.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro