19 de dezembro de 2016 às 07h03min - Por Mário Flávio

Focos da dengue no bairro Vassoural, em Caruaru

Em alguns estados brasileiros, mais de 70% dos municípios terão prefeitos novos em primeiro de janeiro. A informação é do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde. A chegada de novos prefeitos preocupa o Conselho, que teme que em alguns desses municípios, por causa das trocas, a política de combate ao mosquito que transmite Dengue, Chikungunya e Zika seja interrompida agora em dezembro e não seja retomada em janeiro.

Por isso, o Conselho está pedindo aos atuais prefeitos e secretários que mantenham em atividade as equipes de saúde e que não haja demissões nessas equipes. No entanto, o presidente do Conselho, Mauro Junqueira, reconhece que em alguns municípios isso será inevitável, pois em meio à crise econômica, os atuais prefeitos precisam cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, deixando dinheiro em caixa para o ano que vem.

“Nesse cenário de escassez de recursos, nesse cenário em que a grande maioria dos estados está com dificuldade de repassar recursos para os municípios, devendo meses de repasses fundo a fundo, os municípios já colocando oito pontos percentuais de aplicação de recursos próprios, além do mínimo constitucional, é lógico que em muitos municípios já se iniciou o processo de redução de equipes, demissões… e isso a gente tá acompanhando e orientando para que não seja na ponta, para que não seja na assistência, e para que programas como o da questão da Dengue sejam mantidos.”

Mauro Junqueira disse também que o Conselho das Secretarias de Saúde está procurando os prefeitos eleitos para prestar orientação sobre a política de combate ao mosquito da Dengue, Chikungunuya e Zika, e que a entidade fará uma série de visitas entre janeiro e março aos municípios com nova administração em 2017.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro