15 de abril de 2013 às 08h25min - Por Mário Flávio

20130415-015835.jpg

Na próxima quarta-feira (17) será oficializada a fusão entre PPS e PMN. Para se efetivar, no entanto, ainda precisa de aval do próprio PMN e de registro oficial no Tribunal Superior Eleitoral. Caso seja confirmada a mudança, a legenda nasce em Caruaru com três vereadores: Jajá (PPS), Neto e Rozael do Divinópolis, ambos do PMN. Mas esse número poderá aumentar, já que deverá ser aberta uma “janela” de um mês para possibilitar a outros parlamentares migrarem para a nova sigla sem perderem seus mandatos, com isso, os vereadores Val e Louro do Juá, que têm o desejo de sair do DEM, poderiam migrar para a sigla.

O novo partido poderia ser uma opção para o deputado estadual Tony Gel, uma vez que ele já manifestou a possibilidade de deixar o DEM. Outro motivo seria o apoio do novo partido ao nome de Eduardo Campos para presidente, situação defendida abertamente pelo ex-prefeito de Caruaru.

CÂMARA FEDERAL – A expectativa com a fusão é compor uma bancada com pelo menos 20 deputados federais. Confirmada a fusão, o novo partido terá 14 deputados federais (11 do PPS mais 3 do PMN). Com isso, o novo partido somaria ou até aumentaria a fatia de recursos públicos do Fundo Partidário, além de maior tempo de TV e rádio, ativos importantes para lançar candidaturas próprias ou negociar alianças eleitorais. Se nenhuma surpresa ocorrer, as siglas pretendem oficializar a união na quarta ou até o fim da semana junto à Justiça Eleitoral.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro