6 de janeiro de 2012 às 15h15min - Por Mário Flávio

Depois de seis meses de extenso trabalho dos agentes da justiça eleitoral para cadastrar os novos títulos com a biometria, para que tenhamos segurança no ato de votar, ainda existem pessoas que não realizaram o cadastramento. Porém, esta situação nos deixa triste quando percebemos que existem falhas, assim como todo trabalho pode ter. A partir do segundo semestre de 2011 ficou aberta as renovações dos títulos, muitas pessoas começaram a comparecer no fórum eleitoral. Mas isso não se deu a todos os caruaruenses, pois, como todo brasileiro, deixam as coisas para última hora. Nos comerciais de TV, rádio, jornal impresso e televisivo os avisos sobre o cadastramento foram incansáveis, porém, não obtiveram êxito, pois a movimentação foi baixa perante a quantidade de pessoas que votam.

Durante este período, muitos trabalhadores deixaram seus serviços para enfrentar uma grande fila, que já se encontrava em frente ao fórum eleitoral. Muitos se sujeitaram ao forte Sol e a chuva, ariscados a obterem doenças providas da exposição ao clima já citado, enquanto outros/as ficaram em casa adiando para não enfrentar estes obstáculos.

Próximo ao fim do cadastramento ainda faltava mais de 15% da população realizar o mesmo. A partir daí foram comerciais mais intensos, enfocando que, quem não cadastrasse o título não teriam mais oportunidade de cadastrar e pagariam uma multa. Só que após o fim da data do cadastramento, a história foi outra, passaram a usar o discurso de que a partir do dia 09 de janeiro de 2012 aqueles que não fizeram o cadastramento poderiam fazê-lo, mesmo tendo o atendimento diminuído.

Analisando esta situação, podemos perceber que houve um desrespeito com aqueles que ficaram sob a luz solar para realizar o cadastramento. Será que estas pessoas não tinham obrigações a fazer, pois, muitas pessoas que são disciplinadas realizaram o cadastramento até depois de enfrentar 12 horas na fila de espera. Será que as pessoas que não fizeram não conseguiram por que trabalham mais do que aquelas que fizeram. Estas e outras questões surgem e só resta a conclusão de que, esta nova chance só tem a beneficiar os políticos, pois serão mais adeptos dos votos caruaruenses.

Conversando com populares, a indignação é forte e presente. A senhora M. A da S. de 40 anos nos falou que sentia raiva quando ficou sabendo que teriam chances para aqueles que não conseguiram realizar o cadastramento.

Já conversando com um cidadão que não tinha realizado o cadastramento o senhor O. da S. de 27 anos, nos falou que ainda não fez por que não tem vontade de votar nos políticos que só fazem coisas erradas para a sociedade  caruaruense.

Diante destes dois depoimentos, percebemos que a democratização do voto ficar a desejar, pois como poderemos considerar democrático algo que somos forçados através de um pagamento de multa caso não faça algo, assim é o cadastramento biométrico.

Realmente deveria ser algo facultativo, pois o cadastramento é algo muito bom, mas deveria ser mais humano, pois enfrentar um Sol de quase 35 graus não é algo tão fácil. Com este enunciado fica uma pergunta. Os políticos caruaruenses tiveram que ficar na fila enfrentando Sol e a chuva também para realizar o cadastramento, ou tiveram privilégios (mais uma vez…)?


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro