28 de abril de 2012 às 12h07min - Por Mário Flávio

Caríssimo Mário,

Em matéria publicada no seu blog você  assegura que fui escalado para bater de frente com o comunista Presidente da Câmara de Vereadores Licius Cavalcanti; que quando eu era presidente do PCdoB fui contra a candidatura de Licius, pois queria e  não consegui que o partido apoiasse o nome de Adolfo José; que somente após eleição para a presidência do PCdoB decidi ingressar no PT, e  que vou ser candidato a vereador, com o aval do prefeito Zé Queiroz, do deputado federal, Wolney Queiroz e do suplente de senador, Douglas Cintra.

Para evitar que os distintos leitores de seu blog fiquem com uma imagem distorcida da realidade, venho prestar os seguintes esclarecimentos a cada uma das declarações que você fez a meu respeito:

Durante a entrevista em seu programa Conteúdo da segunda feira 23, na Rádio Caruaru FM, cobrei explicações sobre a notícia divulgada no Jornal Vanguarda, na coluna Confidencial, sobre o roubo dos livros de Nelson Barbalho doados à Câmara de Vereadores. Não entendo porque você sugere que meu comentário tenha provocado Licius, afinal o que há de estranho em minha cobrança?

Após analisar a correlação de forças envolvidas no atual cenário político local, estou convencido quenão há hoje outra pessoa que reúna as mesmas condições de José Queiroz para levar as forças políticas que compõem a Frente Popular à vitória nas próximas eleições. Dizer que minha opinião desqualifica a candidatura de Licius, Diogo, Marcelo, Fábio, ou quem quer que seja, não passa de um exercício criativo com o intuito de provocar o alvoroço dos “torcedores políticos”.

Acompanhava o Presidente do meu Partido, o PT, em sua entrevista ao jornalista Hélio Júnior, quando o Presidente da Câmara adentrou ao estúdio e, convidado para saudar os ouvintes, habilmente passou a expor sua visão do momento político.  Ante a singular situação e sabendo da sua legítima pré-candidatura à prefeitura de Caruaru, me expressei da seguinte forma: “tenho muito respeito pelo presidente Lícius, mas o espaço aqui hoje é do PT”. Não considero que isso tenha sido um toco.

Não ironizei a visita feita por Lícius ao prefeito Zé Queiroz durante o programa Mesa Redonda. Minha observação foi apenas uma bem intencionada insinuação de que, por traz do o gesto havia mais que uma simples retribuição de gentilezas, pois ninguém retribui uma cordial visita familiar e caseira, com visita pública em um meio de comunicação.

Não fui contra a candidatura de Lícius à Presidência da Câmara e nem quis que o partido apoiasse o nome de Adolfo José. Apenas fui contra a forma como a vitória foi obtida. Pois, em minha opinião, era possível conseguir a Presidência da Câmara na luta interna antes do apelo à oposição, no entanto ele preferiu não ouvir a opinião do Presidente do seu Partido e optou pela vitória imediata.

Renunciei à Presidência do PCdoB e pedi minha desfiliação a um só tempo. Minha saída antecipou o processo sucessório e neste contexto Licius foi eleito Presidente. Portanto não saí do Partido após sua eleição e sim antes.Minha filiação ao PT foi resultado de um ato cuidadosamente planejado e respondeu a minha identidade com o programa partidário. Já em 2005 eu tinha organizado o movimento “Pró Lula e Contra a Corrupção” quando coloquei mais de 1500 pessoas nas ruas, em defesa do Presidente, e em 2006, apesar da forte amizade da minha família com a família do governador, apoiei Humberto Costa no primeiro turno, e fiz sua campanha em vários municípios da Região.

É natural que minha candidatura, assim como a de todos os demais pré-candidatos a vereador pela Frente Popular que apoiam o Prefeito José Queiroz, e apoiaram as candidaturas do deputado federal, Wolney  Queiroz , e do suplente de senador, Douglas Cintra, mereçam o apoio destas lideranças. Posso assegurar que serei ético na busca destes apoios e me sinto honrado com isso.

Feitos os esclarecimentos necessários quero expressar meu carinho e respeito pelo Partido Comunista do Brasil, seus filiados, militantes e lideranças. Reitero meu  respeito e minha admiração  ao Vereador Licius Cavalcanti e todos os valorosos membros do Diretório Municipal do PCdoB. Reconheço que momentânea e circunstancialmente divergimos em nossas avaliações de conjuntura, porém tenho certeza que estaremos  lado a lado em muitas das batalhas pela construção de uma Caruaru cada vez mais  forte, justa, rica, democrática e altamente desenvolvida.

Cordialmente, Eduardo Guerra.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro