3 de fevereiro de 2016 às 06h58min - Por Mário Flávio

Humberto Costa no Senado

Em seu primeiro discurso do ano na tribuna do plenário do Senado, que retomou a atividade legislativa, o líder do PT na Casa, Humberto Costa (PE), manifestou o seu total repúdio “às denúncias vazias e ao cerco odioso” que sofre o ex-presidente Lula e criticou a cobertura feita por parte da imprensa brasileira. Em nome da bancada do PT e “de senadores de outros partidos que reconhecem as conquistas históricas sociais alcançadas nos oito anos de governo Lula”, Humberto afirmou que Lula é agredido por setores da sociedade que não digerem a força política que ele detém e a ampla base social que o apoia.

“São ataques sistemáticos, que têm como objetivo desqualificá-lo como homem público e desconstruir a imagem de um presidente que deixou o cargo nos braços dos brasileiros, com mais de 80% de aprovação popular”, declarou. Para o senador, não há nada que pese contra a honra de Lula, principalmente sobre a questão do apartamento no Guarujá e do sítio em Atibaia, ambos em São Paulo.

O parlamentar ressaltou que o ex-presidente não é investigado por nenhum dos processos originários das operações Lava Jato ou Zelotes, como atestam o Ministério Público, a Polícia Federal e o Poder Judiciário. Cinco anos depois de ter deixado a Presidência da República, ou seja, a vida pública, Lula não responde a nada. “Pelo contrário, ele nunca se colocou acima da lei e tem permanentemente cooperado com a elucidação de todos os fatos apurados. Mas nada disso tem sido suficiente para estancar essa guerra que foi declarada contra o ex-presidente, mesmo que veículos da mídia e algumas autoridades metidas a justiceiras se exponham ao ridículo de patrocinar denúncias vazias”, disse.

Para o senador, a agenda política do Brasil tem sido, atualmente, forjada por esses factoides plantados em páginas de jornais e revistas e em matérias de TV, que retroalimentam a própria pauta e, dessa forma, dão início a um ciclo vicioso de mentiras.

“Querem vincular imoralmente o presidente Lula aos dois imóveis em São Paulo num jogo espúrio em que fatos são negligenciados para dar espaço a ilações e denúncias vazias”, observou. O Instituto Lula já respondeu, diversas vezes, a todos os questionamentos que lhe foram feitos sobre o assunto.

“Mas não adiantam as explicações, os documentos probatórios. Não servem a nada os esclarecimentos oferecidos porque há uma caçada em curso, há uma determinação explícita de esmagar o poder político de um ex-presidente da República, por mais bizarro que isso possa parecer”, acredita Humberto.

O líder do PT avalia que a imprensa brasileira é seletiva com as informações e concede espaço muito menor às denúncias feitas contra o PSDB, como o esquema do mensalão tucano e do metrô de São Paulo e o uso sistemático de aeronaves públicas de Minas Gerais, quando o PSDB governava o Estado, por celebridades e amigos dos chefes do Poder Executivo estadual. “Não vamos mais tolerar essa prática em curso, cada vez mais assemelhada à inquisição, onde muitos têm sido queimados em praça pública por acusações infundadas e sem direito de defesa”, destacou.

Humberto declarou ainda que o presidente Lula precisa ser respeitado não apenas por tudo o que fez, mas também por aquilo que não fez, e de que vem sendo diuturnamente acusado sem provas, com base em insinuações e inferências organizadas de forma sistemática para manchar a sua honra. “O presidente Lula conta com toda a nossa solidariedade nessa caminhada e – juntamente com o PT, com a nossa militância, com os movimentos sociais e com milhões de brasileiros – estaremos ombreados para impedir a tentativa vergonhosa de manchar a biografia de um homem como ele, cujo poder político muitos temem, especialmente na medida em que se aproximam as eleições de 2018”, concluiu.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro