14 de novembro de 2012 às 09h55min - Por Mário Flávio

20121114-010404.jpg

A grande surpresa no Salão Imobiliário realizado esta semana foi a presença do ex-prefeito Neguinho Teixeira (sem partido). Ele não aparecia publicamente em Caruaru desde o ano passado, quando foi condenado a quatro anos e um mês de prisão, além de 280 dias-multa, o que equivale a aproximadamente R$ 2,6 mil. Aparentando calma, mas muito introspectivo, Teixeira circulou livremente pelo evento.

BIOGRAFIA CONTURBADA – Desde que se envolveu numa série de processos que o ex-prefeito raramente aparece em público. Ex-fabricante de sofá em um dos bairros mais pobres de Caruaru, o Riachão, Manoel Teixeira de Lima iniciou sua vida política de forma humilde e ajudando as pessoas mais próximas. Se candidatou pela primeira vez disputando o cargo de vereador como Neguinho do Sofá. Assim que assumiu o posto na Casa Jornalista José Carlos Florêncio, fez um forte trabalho de marketing para desassociá-lo de sua antiga profissão e passou a se chamar Neguinho Teixeira.

Na Câmara (2005/06), atuou de forma discreta sendo governo, quando uma briga entre alguns vereadores da base do então prefeito Tony Gel (DEM) acabou o levando à presidência da Câmara, a partir de janeiro de 2007. Apesar de chegar na presidência através de uma articulação que envolveu vereadores da oposição, Teixeira agiu como aliado de Tony Gel, que três meses depois renunciou à prefeitura e, como a cidade não tinha vice-prefeito (o deputado estadual Roberto Liberato, eleito ao lado de Tony em 2004, resolveu manter-se na Assembleia), foi prefeito por nove meses.

Na presidência da Câmara, ele foi flagrado, pela reportagem da Globo, na Argentina fazendo turismo, quando saiu do país para participar de um Congresso Internacional de Vereadores, que não ocorreu. Na PMC, sua gestão também foi marcada por denúncias e, apesar de poucos meses no comando da cidade, ele acumulou vários problemas e denúncias de fraude.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro