26 de março de 2012 às 22h30min - Por Mário Flávio

Segunda-feira, dia 26 de março, após quase quatro meses desde o início do ano eleitoral, finalmente os políticos começaram a falar em apoios, pré-candidaturas e alianças. O prefeito Zé Queiroz (PDT), que vai buscar a reeleição seguiu a risca o conselho do governador Eduardo Campos (PSB) e quase não tocava no assunto. O chefe do Executivo tinha avisado: “Política só depois do carnaval”. Pois é, o carnaval passou e Queiroz aproveitou para tirar uns dias de férias.

Diante das peças se mexendo, o prefeito chamou a responsabilidade pra si e hoje se reuniu com os presidentes das seguintes legendas: PRTB, PSC, PT do B e PTB. A meta do prefeito é começar a discutir a montagem da Frente Popular. Outro político que sonha em se candidatar a prefeito também definiu hoje uma data para se posicionar, de fato, sobre o futuro no pleito desse ano. Trata-se do presidente da Câmara de Caruaru, vereador Lícius Cavalcanti (PCdoB).

Em entrevista ao colega Dimas Xavier, ele disse que em abril define o rumo da sua vida eleitoral. O tucano Diogo Cantarelli também esteve hoje na Câmara e teve uma longa conversa com Lícius. Os dois podem repetir a dobradinha PCdoB/PSDB, que já existe na cidade de Olinda. Caso a união se confirme, a grande pergunta é: quem abriria mão de encabeçar a chapa?

O deputado estadual, Tony Gel (DEM), também não está parado. mais uma vez fez algumas críticas ao prefeito de Caruaru e seguiu para Brasília, onde cumpre extensa agenda de articulação. Entre os assuntos a serem abordados, a busca de mais apoio para Miriam Lacerda. Com a ida do democrata para a Capital Federal, alguma surpresa pode voltar na bagagem.

Os políticos que não se articularam hoje, usaram as redes sociais para divulgar as ações. O pré-candidato do PV, Marcelo Rodrigues, disse pelo twitter que tem importante encontro ainda essa semana com lideranças de partidos e Fábio Silva (PSOL), segue usando o microblog para disparar contra Zé Queiroz.

O tabuleiro começou a ser mexido e os políticos aos poucos irão se posicionar. Mas duas peças serão fundamentais no momento de dar o xeque-mate: João Lyra e Sérgio Guerra. As duas lideranças têm muita influência e podem ditar o rumo das negociações.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro