24 de janeiro de 2018 às 20h16min - Por Mário Flávio

A condenação unânime dos desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) ao ex-presidente Lula, em Porto Alegre, virou destaque na imprensa internacional. Pela decisão em segunda instância da Justiça Federal, o petista teve sua pena aumentada de nove para 12 anos de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex em Guarujá (SP).

O jornal britânico de “The Guardian” ressalta que a decisão “complica seus planos para concorrer a um terceiro mandato e marca uma extraordinária mudança de sorte para o líder mais popular da história brasileira moderna”.

O jornal espanhol “El País” afirma que a condenação por corrupção “compromete as aspirações do político de esquerda para um novo mandato nas eleições presidenciais de outubro”, já que a sentença significa que ele será declarado inelegível.

A notícia é manchete também do periódico argentino “El Clarín”, que em seu texto destaca a fala do juiz Leandro Paulsen, o segundo desembargador a dar o seu voto, de que a participação de Lula no esquema de desvio de dinheiro da Petrobras é “inequívoca”.

Já o “The New York Times” aponta que a decisão do TRF-4 é um “golpe significativo” na missão de Lula de alcançar um terceiro mandato e analisa que “a decisão foi uma vitória para os promotores no que pode ser o caso de maiores proporções no confronto entre o Poder Judiciário brasileiro e a elite política”

O site da revista “Der Spiegel”, da Alemanha, destaca que Lula planejava um retorno político para concorrer à presidência novamente, mas que agora corre o risco de passar um longo tempo na cadeia. Além disso, informa que “sua pena ainda depende do consenso dos desembargadores”.

O jornal francês “Le Monde”, que chama Lula de “pai dos pobres” e de “figura mítica da política brasileira”, diz que a decisão pode assinar a “morte política” do ex-presidente.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro