21 de fevereiro de 2013 às 13h25min - Por Mário Flávio

O Governo de Pernambuco e o Ministério da Integração Nacional realizaram reunião no Recife esta semana com o objetivo de agilizar o lançamento do edital para a contratação das obras do Ramal do Agreste, empreendimento essencial para viabilizar a Adutora do Agreste. Este projeto, que está em licitação, receberá água do Rio São Francisco, beneficiando 68 municípios do Agreste. Este foi o primeiro encontro entre técnicos do Ministério, da Compesa e da consultoria responsável pela elaboração do projeto do Ramal, que integra o projeto da Transposição do Rio São Francisco.

De acordo com o presidente da Compesa, Roberto Tavares, a reunião serviu também para conhecer de perto o projeto, integrar as equipes envolvidas, agilizar a elaboração do edital e o processo de licitação, além de definir estratégias para dialogar com os órgãos de controle. “Queremos estabelecer um cronograma da licitação. Ainda teremos uma série de reuniões até fecharmos uma data e lançar o edital”, afirmou o presidente.

Orçado em R$ 1,3 bilhão, o Ramal do Agreste vai trazer água do Eixo Leste da transposição do Rio São Francisco aos municípios do vale do Rio Ipojuca. Localizado ao norte de Pernambuco, entre os municípios de Arcoverde e Sertânia, próximo da fronteira com a Paraíba, o empreendimento terá uma extensão total de 71 km, ligando a transposição do Rio São Francisco à Adutora do Agreste. Ao todo, o Ramal do Agreste compreenderá 17 canais, seis túneis, arquedutos,três conjuntos elevatórios e duas barragens.

ADUTORA DO AGRESTE

Esta semana a Compesa recebeu a documentação e as propostas de preço das empresas que estão concorrendo no processo de licitação de quatro lotes da Adutora do Agreste. Na última segunda-feira (18), foram abertos os envelopes de documentação do Lote 1, que é disputado por quatro empresas. Já os envelopes dos Lotes 2, 3 e 4 foram abertos ontem (19). No Lote 2, 13 consórcios apresentaram proposta. No Lote 3, 12 grupos estão concorrendo. E no Lote 4, 11 empresas entraram no processo. A Compesa já está analisando toda a documentação para posteriormente divulgar o resultado das empresas habilitadas para a segunda etapa da licitação, quando serão abertas as propostas de preço e será declarado o vencedor.

A Adutora do Agreste tem um investimento previsto de R$ 2 bilhões, sendo considerado o maior empreendimento hídrico da história da Compesa. O empreendimento partirá de Arcoverde e terá, ao todo, 1,1 mil quilômetros de extensão, chegando até Bezerros. Somente nesta fase, o investimento total é de R$ 1,3 bilhão, o maior em termos de recursos, o que inclui os quatro lotes mais as tubulações que serão implantadas.

O primeiro lote está orçado em R$ 464 milhões e compreende o trecho entre Arcoverde e Caruaru. Já o lote 2 tem um valor de R$ 76 milhões e vai de Arcoverde a Buíque. O Lote 3, de R$ 93 milhões, vai de Buíque a Iati. E o Lote 4, de R$ 77 milhões, compreende o trecho entre Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe. Esta etapa do projeto prevê a construção de dois reservatórios, uma estação elevatória (sistema de bombeamento), 63 quilômetros de adutoras e uma estação de tratamento de água, beneficiando as cidades de Pesqueira, Sanharó e Belo Jardim.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro