23 de abril de 2013 às 17h35min - Por Mário Flávio

20130423-165642.jpg

A reunião do COMUT foi iniciada com a leitura de dois ofícios enviados pelo Sindecc. Conforme o blog antecipou o Sindicato apresentou a proposta de reajuste para R$ 1,90 de maio até dezembro desse ano e para R$ 2,00 a partir de janeiro de 2014. Na sequencia, o presidente do Sindecc, Milton Manoel, entregou uma carta renunciando a vaga no Conselho, o que causou surpresa em todos os presentes. No texto da renúncia, críticas ao que o sindicalista chamou de total desrespeito ao COMUT por parte do poder público.

Com a saída de Milton Manoel, o presidente do COMUT, Sirone Rodrigues, teve que recorrer ao setor jurídico da prefeitura municipal e o mesmo foi orientado a cancelar a reunião e com o tempo hábil.

O presidente da Uesc, Gleison Rodrigues, disse que a gestão do COMUT é responsável pelo embaraço provocado na reunião. “A falta de ações desse Conselho gerou o descrédito do mesmo e faz com que os membros percam a vontade de continuar. Para nós é uma baixa lamentável a saída do Sindecc, mas é uma situação provocada pela falta de credibilidade do Comut. Nós tivemos o exemplo de uma linha de ônibus que foi conquistada por uma luta de anos da associação dos moradores e de repente, um vereador vem e diz que é o pai da obra. Tudo isso provoca o desistímulo”, disse.

O empresário Ricardo Henrique disse que entendia a decisão de Milton Manoel, mas garantiu que o COMUT passa por um processo de mudança e que foi pego de surpresa. “O COMUT virou um espaço democrático e temos que esquecer o passado. Entendo e respeito a decisão de Milton Manoel, mas discordo com os argumentos e fico triste com a saída dele, que sempre lutou para que o COMUT funcionasse. Mas não vai ser com a saída de Milton que vamos desanimar, vivemos outro tempo, Milton está coberto de razão, mas temos que defender e não podemos esmorecer, imaginava tudo, menos essa decisão”, disse.

Para o empresário Adolfo José a decisão de Milton Manoel poderia esperar pelo fim das negociações, já que ele causou um problema para os donos de empresa de ônibus. “A decisão de Milton Manoel deixa as empresas em xeque. Não iríamos apenas decidir pela votação do aumento de passagem de ônibus, mas tínhamos a questão da bilhetagem eletrônica e aumento e melhora da frota. Com a decisão e parada das reuniões, voltamos a estaca zero, mas esse posicionamento parece até brincadeira. Milton nos causa um tremendo problema hoje”, desabafou Adolfo.

O vereador Ricardo Liberato (PSC) disse que ficou frustrado com a decisão, mas fez um apelo para que o sindicalista continue no COMUT. “Sei que a decisão está no papel e foi em caráter irrevogável, mas eu peço a Milton que ele reveja a posição, já que é de extrema importância a presença dele aqui nesse Conselho”, disse o social-cristão.

O presidente do Sindecc se posicionou ao fim das falas e cobrou as atas das reuniões anteriores. “É uma decisão muito difícil pra mim, eu gosto de lutar. Não existem situações ou estratégias, mas a minha decisão está contida nesse documento que apresentei hoje. Quero agradecer a todos aqui, sei que em alguns casos eu me excedi nas críticas e os embates foram muitos. Não levo mágoa de ninguém, aprendi com todos, mas levando em conta as três últimas administrações, não existe nenhum respeito aos usuários de transporte público”, pontuou.

O presidente do COMUT encerrou a reunião e lamentou a decisão de Milton Manoel. Ele disse que vai esperar a nomeação do prefeito Zé Queiroz para a vaga no Conselho e após isso, um novo encontro será remarcado.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro