1 de dezembro de 2016 às 06h52min - Por Mário Flávio

Mendonça Filho

O ministro da Educação, Mendonça Filho, pediu nesta quarta-feira (30) à Polícia Federal que apure aos atos de vandalismo ocorridos na véspera, na esplanada dos ministérios, em Brasília, que atingiram fortemente a estrutura do MEC.

Ele disse que nunca viu vandalismo igual e que a atitude dos vândalos “mostrou que a intolerância e a violência têm sido a prática política de alguns grupos radicais, que a gente tem de enquadrar dentro daquilo que estabelece a lei brasileira.”

O ministro pretende também responsabilizar as entidades ligadas a partidos de esquerda – como a UNE e a CUT – que patrocinaram a invasão do MEC e a destruição do patrimônio público.

Nesta quarta-feira, ele fez uma vistoria nos locais atingidos pelos vândalos, conversou com servidores e recebeu peritos da Polícia Federal, além dos delegados Marcelo Borsio e Osvaldo Gomide.

O MEC repassou à PF imagens do circuito interno de TV além de vídeos feitos pelos próprios servidores do Ministério.

No saguão de entrada do prédio, os vândalos – dizendo-se contrários à Medida Provisória do Ensino Médio – quebraram vidraças, câmeras de segurança e caixas eletrônicos.

Segundo balanço preliminar do MEC, foi identificada a destruição de 38 placas de vidro da fachada do prédio, cada uma com 5 metros quadrados, espelhos de fachadas e de elevadores, revestimentos de paredes, divisórias de madeira e de vidro, computadores, câmeras de segurança, balcões de vidro da entrada do prédio, televisores, além de cinco caixas eletrônicos.

Além disso, os vândalos roubaram extintores de incêndio, cadeiras, bancos e computadores, e depredaram um carro oficial.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro