13 de julho de 2012 às 23h46min - Por Mário Flávio

Reportagem: Ana Rebeca Passos

O Departamento de Controle de Vetores da Prefeitura de Caruaru, responsável pela apreensão de animais na cidade, foi denunciado na tarde de hoje pela União em Defesa e Respeito à Vida Animal (UDERVA). O motivo principal da denuncia, foi devido aos maus tratos realizados com os animais apreendidos pela “carrocinha”.

Segundo informações de uma das integrantes da ONG, Airla Flávia Brederodes de Andrade, foram encontrados hoje pela manhã no centro de vetores, cerca de 15 animais na fila de espera para serem sacrificados, além de outros animais, já então mortos em sacolas. “Assim que presenciamos tal fato com estes animais, entramos em contato com a delegada Nely Queiroz, que nos orientou a procurarmos uma delegacia e prestássemos queixa”, afirmou Airla.

Após comunicado feito ao delegado Márcio Cruz, da terceira Delegacia de Policia Civil de Caruaru no bairro Petrópolis, o mesmo foi conferir a denúncia, encontrando na “carrocinha” 18 animais mortos; e que segundo o motorista do carro, os animais seriam despejados no aterro sanitário do município. “Outro problema, é que os animais devem ser tratados como lixo hospitalar e não como lixo comum. Ao serem jogados no aterro, há a contaminação do solo e transmissão de doenças”, disse Airla Andrade.

Por volta das 15h, o delegado Márcio Cruz, ouviu os depoimentos dos responsáveis da UDERVA e representantes da Prefeitura de Caruaru, como também registrou um boletim de ocorrência.
Segundo a presidente da UDERVA, Nilda, que esteve pela manhã no centro de vetores, o vigilante do departamento informou que os animais estavam com ‘leishmaniose’, por isso seriam sacrificados.

A situação virou tema de polêmica nas redes sociais. No facebook da Uderva, existem várias imagens que já foram compartilhadas pelos seguidores e o tema virou mote de muita polêmica. A Uderva prestou queixa e quer uma justificativa da prefeitura, já que segundo a entidade não existia nenhum laudo para que os animais fossem mortos. No fim da noite, os funcionários dos Vetores tinham laudo para sacrificar quatro animais. No entanto, mais de 20 foram mortos, deixando uma imagem estarrecedora no local.

Por meio de nota, a prefeitura tentou esclarecer a questão. Diz a nota: “A Secretaria de Saúde esclarece que só autoriza o sacrifício de animais que têm laudo positivo para leishmaniose canina que trata-se de uma doença crônica e irreversível, possível de transmissão ao ser humano e que por essa razão O MINISTÉRIO DA SAÚDE, através de resolução, EXIGE O SACRIFÍCIO DESSE ANIMAL. Sobre o questionamento da forma do sacrifício, a Secretaria informa que recentemente foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta com a promotora Gilka Miranda, no qual, o município só pode praticar a eutanásia mediante a aplicação do anestésico tilpental. As devidas normas estão sendo cumpridas”.

Mesmo com a nota da prefeitura, a Uderva vai acompanhar as investigações e fiscalizar o Departamento de Vetores.

Mais de 20 animais foram sacrificados e apenas quatro laudos apresentados pelo Departamento de Vetores


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro