7 de janeiro de 2014 às 08h25min - Por Mário Flávio

imageO secretário de Relações Institucionais de Caruaru, Marco Casé (PTB), segue sem conversar com a imprensa depois da Operação Ponto Final, que culminou com a prisão de 10 vereadores no mês de dezembro de 2013. Ele foi apontado por Jajá (PPS) como o articulador da ação e teria oferecido 500 mil reais para que o mesmo votasse em projetos do governo. A versão de Jajá foi amplamente negada pela Polícia, já que o delegado responsável pela Operação Ponto Final, Erick Lessa, disse que o Executivo contribuiu com as investigações, mesmo sem citar o nome de Casé diretamente.

Consultei um dos membros do núcleo duro do governo ele foi taxativo sobre Marco Casé. “Ele segue prestigiado no governo e agiu da maneira correta”, disse. O trabalhista deve ser mantido nas funções que ocupa como presidente da Ceaca e secretário de Relações Institucionais. Durante a campanha de 2012, Casé foi um dos articuladores para receber a reivindicação dos candidatos e sempre foi tratado com muito respeito pelos membros dos módulos criados para dar sustentação aos vereadores eleitos pela base.

No entanto, a relação com a Câmara nunca funcionou bem, principalmente pela ausência de um bom articulador na Casa. O secretário Executivo de Relações Institucionais, Davi Cardoso, não tem uma relação com Marco Casé e segue insatisfeito com a maneira que recebeu tratamento do Executivo.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro