31 de maio de 2012 às 10h21min - Por Mário Flávio

Em entrevista ao programa Conteúdo, nessa quarta-feira (30), o secretário de Meio Ambiente do Recife, Marcelo Rodrigues (PV), debateu os desafios para o desenvolvimento de políticas ambientais em Caruaru. Mas, ele também debateu política e reafirmou que continua pré-candidato à prefeitura de Caruaru, mesmo com as especulações de que teria sido chamado para ser vice na chapa da deputada estadual Miriam Lacerda (DEM).

Marcelo disse que entendeu essa cogitação do seu nome a possível vice da Democrata como um elogio, mas que nenhum convite fora feito oficialmente. Além disso, comentou que não houve mudanças no plano de manter a pré-candidatura, mas falou dos desafios de reforçar a base política do PV em Caruaru.

“Eu fiz uma consulta jurídica e identifiquei que não preciso me descompatibilizar para ser candidato à prefeitura em Caruaru. Eu posso ser candidato em Caruaru e continuar secretário do Meio Ambiente em Recife. Eu sou pré-candidato, vou continuar pré-candidato, mas estou em busca de algo que é muito difícil de fazer, que é levantar um palanque. Para isso, é necessário de quê? De dinheiro, e essa é uma grande dificuldade para um partido menor como o PV”, explicou.

Sobre sua relação com a gestão municipal, principalmente no que se refere ao Meio Ambiente, Marcelo Rodrigues disse as diferenças com a prefeitura se deram porque ele não acredita que o governo municipal tenha um projeto ambiental para a cidade. “Aliança sem projeto é negócio, e eu não sei fazer política dessa form”, comentou, justificando sua saída da prefeitura de Caruaru. Em linhas gerais, ele cita a falta de agilidade da prefeitura em construir o código ambiental e a não-criação da Secretaria de Meio Ambiente na cidade como os principais fatores de sua separação da base do governo municipal.

Confira a entrevista completa no podcast abaixo

 


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro