22 de dezembro de 2017 às 06h06min - Por Mário Flávio

A Câmara de Vereadores, em votação na tarde desta quinta-feira (21), derrotou seis dos doze projetos enviados à apreciação pela prefeita Raquel Lyra, inclusive o que pedia autorização legislativa para contrair empréstimo de R$ 83 milhões junto à Caixa Econômica Federal. Dois dos textos rejeitados tratavam da situação previdenciária do Município, outro pedia financiamento para o PMAT, uma normatizava as edificações na área urbana e um último propunha um Programa de Escolas Integrais. Todos dependiam de 16 votos para aprovação, mas só obtiveram 13 votos, com a oposição e parte da base de apoio somando 10 votos.

O vereador Marcelo Gomes, do PSB, analisou a derrota do Executivo como positiva para a mudança dos costumes políticos da cidade. “A Câmara foi rigorosa e teve bom senso ao não aceitar o envio atropelado dos projetos, alguns da maior gravidade, sem tempo hábil para uma avaliação detalhada nas comissões da Casa. E a prefeita não consultou a sociedade civil, nem promoveu o diálogo em torno das matérias, contrariando seu discurso de transparência e respeito ao Legislativo”.

O Executivo só poderá apresentar em 2018 os projetos hoje derrotados. Não se sabe, todavia, se todos serão aceitos pela maioria qualificada dos vereadores. No caso do empréstimo à Caixa, por exemplo, houve muita reclamação dos parlamentares por não serem apontadas as obras específicas de infraestrutura a serem custeadas.

“A prefeita, na verdade, queria um cheque em branco para contrair o empréstimo e usar as verbas à vontade. O Anexo Único do texto que devia relacionar as aplicações não dizia nada e, para piorar, não ficou demonstrado se daqui a dois anos, após o prazo de carência, a Prefeitura teria condições financeiras de honrar as parcelas do financiamento, isso num contexto de frustração de receita do Município, recém apontada pelo Tribunal de Contas do Estado”, criticou Marcelo Gomes.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro