28 de junho de 2016 às 22h14min - Por Mário Flávio


O cantor e compositor Fagner jogou mais lenha na fogueira do São João de Caruaru. Fora das festividades juninas desse ano, o cearense disse em entrevista ao blogueiro Jamildo Melo, do Jornal do Commercio, que existe “esquema no São João da Cidade”. Ele fez uma comparação com a Operação da Polícia Federal, que culminou com o escândalo da Petrobras. “É só fazer feito a Lava Jato: é só correr atrás do dinheiro”, disse. 

Ele citou diretamente o São João da Capital do Forró e disse que chegou a ser procurado para se apresentar no dia 23, com um cachê em torno de R$ 130 mil, mas que a negociação não vingou. O artista disse que já existiu superfaturamento no show dele, aqui em Caruaru, mas não citou o ano da ação. “Já aconteceu de venderem o nosso show por um preço e ele ser muito maior, foi por isso que nos indispomos com essas pessoas. Agora eles me procuraram pedindo para eu dar acesso ao meu escritório. Meu escritório já não fazia mais negócio com esse pessoal por ter descoberto que eles faziam dois negócios com o meu nome. Eles me ligaram pedindo para que o meu escritório a aceitar o convite para fazer o São João de Caruaru”, disse.

No entanto, na mesma entrevista ele negou que esse ano tenho recebido proposta ilícita por parte da organização de Caruaru. No entanto, criticou a maneira como o show foi cancelado, já que a alegação foi a crise econômica, de acordo com o cantor. “Sempre tive o maior carinho pelo povo de Caruaru é sempre minhas apresentações são cercadas de comoção, portanto não me preocupo em estar aí esse ano e até em outros que virão, mas a maneira como esses amadores mal intencionados vêm tratando esse ano, não condiz com a tradição e o respeito tão característico com o povo dessa cidade”, disse. 

A reportagem completa você no Blog de Jamildo. 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro