22 de dezembro de 2016 às 06h50min - Por Mário Flávio

Waldemar Borges

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Waldemar Borges (PSB), disse nesta quarta-feira (21), no encerramento do ano legislativo que, no contexto de crise em que o país se encontra, Pernambuco conseguiu sobreviver, apesar de não ser uma “ilha”.

“O que vemos dentro desse quadro são notícias dos estados brasileiros enfrentando dificuldades extremas. Dos 27 estados da federação, 20 estão no vermelho, oito já não conseguem pagar as suas folhas de pessoal em dia e Estados como o Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul simplesmente decretaram estado de calamidade financeira”, disse o representante do PSB.

Segundo ele, os serviços públicos entraram em colapso de uma maneira dramática, sobretudo nas áreas da saúde, educação e segurança, e Pernambuco não fica imune a esse quadro.

“Não somos uma unidade isolada no contexto da federação. Vivemos também essa dificuldade, mas podemos dizer que, aqui, sem querer esconder nenhum dos nossos problemas, estamos enfrentando esse quadro de maneira diferenciada”, acrescentou.

“Diminuímos o custeio em 2,5% e somos o 8º estado brasileiro em termos de superávit. Tudo isso é fruto de um esforço e de um conjunto de medidas que o governo Paulo Câmara tomou com criatividade, coragem e o apoio desta Casa, para encontrar novas formas de aumentar a arrecadação e, assim, buscar o equilíbrio fiscal, hoje tão perseguido por todos”, disse o líder do governo.

Segundo ele, apesar da crise o Governo do Estado investiu nos últimos dois anos R$ 2,5 bilhões “e isso não é algo trivial”.

“Na área da educação, conseguimos implantar nove escolas técnicas, construímos seis novas Escolas de Referência de Ensino Médio, pudemos ver Pernambuco apresentar a menor taxa de evasão escolar do país, ver o Estado responder por seis das 10 melhores escolas de Referência do País, manter o Programa Ganhe o Mundo, e até ampliá-lo com a versão do Ganhe o Mundo Musical”, afirmou.

Sobre a área de segurança, declarou: “É uma das áreas mais sensíveis porque o desemprego jogou 12 milhões de brasileiros no desespero e atinge Pernambuco de uma maneira muito forte. Mas saímos de aproximadamente R$ 3 bilhões gastos em 2015 para R$ 3,5 bilhões em 2016”.

Além disso, acrescentou, “implantamos o 25º Batalhão em Jaboatão dos Guararapes, fizemos reformas em várias delegacias como as de Caruaru, Floresta e Santa Cruz do Capibaribe, criamos uma força-tarefa para investigar assaltos a bancos, aumentamos em 10% a apreensão de drogas e agregamos mais 800 veículos à frota da PM”.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro