18 de dezembro de 2012 às 11h53min - Por Mário Flávio

20121218-115340.jpg

Segue a polêmica sobre o projeto de Lei que reajusta os salários no Executivo e Legislativo. Após o anúncio, por meio de nota, do veto integral pelo prefeito reeleito Zé Queiroz (PDT), o presidente da Câmara Lícius Cavalcanti (PCdoB), não poupou ao chefe do Executivo. Ele disse que se sente contemplado, já que tinha feito apelos na semana passada para que Queiroz vetasse os projetos e ainda fez criticas ao prefeito.

Para Licius, Zé Queiroz deixou a base governista constrangida. “Sinto-me contemplado com a decisão do prefeito, mas não entendo os motivos de ele não ter mandado a base vetar o Projeto antes. Eu e outros quatro vereadores vetamos o aumento e a base dele (Zé Queiroz), com dez votos, aprovou os projetos. Agora o prefeito emite uma nota e diz que vetou por interesse público? E antes não era? Ele deixou a base constrangida e concordou conosco, já que votamos contra”, disparou.

O comunista ainda rebateu as afirmativas na nota, que dizem que ele travou o projeto na Casa Jornalista José Carlos Florêncio. “Sinto em dizer isso, mas o prefeito e sua assessoria devem conhecer melhor o Regimento Interno da Câmara. Temos dez dias para enviar o projeto e hoje ainda era o nono. Estávamos revendo algumas questões para enviar os Projetos. Só acho que se posicionar por meio de nota, sem antes ler o conteúdo dos Projetos não é a melhor maneira. A Casa estava com o prazo dentro da Lei. Só quero que o prefeito explique porque ele não orientou a base a vetar antes”, disse.

A Comissão de Leis deve enviar os Projetos nesta quarta (19) para o prefeito. De acordo com a nota emitida pelo gabinete de Zé Queiroz, ele vai vetar os projetos. Todos os vetos precisam ser votados na Câmara e os mesmos dez vereadores que aprovaram os reajustes, devem seguir a nova orientação e votar pelo veto, que deve acontecer na próxima quinta (20), data da última sessão do ano.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro