3 de julho de 2012 às 21h29min - Por Mário Flávio

Pouco antes de iniciar a sessão na Câmara Municipal, o clima ficou um pouco tenso entre o presidente da Casa, Lícius Cavalcanti (PCdoB) e o vereador Leonardo Chaves (PSD), que trocaram farpas em torno do posicionamento do vice-governador João Lyra (PDT) de não apoiar o prefeito Zé Queiroz, também do PDT, na campanha para reeleição em Caruaru. Anteriormente, Leonardo havia dito que João tomou uma decisão “burra”. Depois disso, Lícius tomou as dores do vice e retrucou Leonardo. Agora à noite na tribuna, os dois discutiram diretamente e o presidente da Câmara também ressaltou que a formação do chapão da Frente Popular, que na verdade se trata da estrutura dos módulos que desagrada os vereadores,  privilegiou os secretários municipais que desejavam sair candidatos.

Entenda

Queiroz tem um pepino para resolver a uma semana das eleições

Vereadores vão para o chapão. Decisão não agrada vereadores

“Vamos para uma disputa duríssima e para um clássico”, reforça Dr. Demóstenes

“Eu não vou mudar minha posição. Como é que a gente tem um chapão que defende apenas 18 nomes, enquanto temos 42 nomes em Caruaru, são falhas que devemos observar”, disparou Lícius. Ele também defendeu o posicionamento e argumentos de João Lyra quanto ás falhas de gestão municipal, mas Leonardo Chaves reforçou que não mudaria de opinião. “Eu falo o que eu quiser e defendo meu ponto de vista, o apoio de João é muito importante e o prefeito vai ter desvantagem sem isso”, declarou.

No entanto, em um ponto Leonardo Chaves concordou com Lícius. Foi a respeito do suposto privilégio aos secretários municipais e à insatisfação dos vereadores da base do governo. “Os secretários que vão se candidatar foram privilegiados nessa situação, a estrutura desses módulos acaba servindo para ajudar na campanha deles, mas põe em risco nossos votos. Porém, é preciso entender que não se pode culpar apenas Zé Queiroz. Afinal, os vereadores da base tiveram muito tempo para formar um chapão unido, mas preferiram ficar discutindo entre si ou fazer críticas isoladas à gestão, era preciso buscar a união a tempo. No caso do PSD, não temos nem o que reclamar, pois não tivemos tanto tempo para reunir mais candidatos nessas eleições e, ainda assim, temos sete nessa campanha”, frisou o vereador.

Lícius e Leonardo discutiram sobre João Lyra e chapão em 2012 – Crédito: Johnny Pequeno/ BMF


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro