4 de fevereiro de 2014 às 11h13min - Por Mário Flávio

Ricardo Liberato garante que a Comissão fez o que pôde sobre o fato. A imagem é do arquivo da Câmara

Ricardo Liberato garante que a Comissão fez o que pôde sobre o fato. A imagem é do arquivo da Câmara


A Comissão de Ética da Câmara de Caruaru foi acionada uma única vez nessa atual Legislatura. A meta era investigar um desentendimento entre os vereadores Jajá (sem partido) e Romildo Oscar (PTN). No entanto, a suposta investigação não eu nada. Os prazos foram perdidos e a situação caducou.

Procurado pela nossa equipe o presidente da Comissão, vereador Ricardo Liberato (PSC), jogou toda a responsabilidade para Jajá, que segundo ele, fez de tudo para travar o andamento da Comissão.

“Diante da situação, a comissão de ética deu prosseguimento às ações legais e cabíveis, como determina o regimento interno. Desta forma, em dados momentos, o vereador Jajá pediu prazo para tratamento de saúde. Nós demos vários prazos porque o parlamentar começou a pedir mais prorrogações, dizendo que precisava inclusive ser cirurgiado. Por isso ocorreu o atraso, culminando então com a prisão dele”, disse.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro