6 de abril de 2013 às 08h25min - Por Mário Flávio

20130406-003648.jpg

O presidente da Câmara de Caruaru, Leonardo Chaves (PSD), engrossou o tom contra os professores que a cada sessão protestam na Câmara de Caruaru. Segundo ele, o movimento dos docentes ganhou um tom político, já que de acordo com o decano na Casa, não faz o menor sentido os professores irem fazer esse tipo de ação na sede do Poder Legislativo.

O pessedista disse que o movimento tem a intenção de desmoralizar a todos os vereadores. “Esse movimento é descabido o projeto foi sancionado e não podemos emendar o projeto, a Câmara não pode legislar em matéria financeira, esse movimento que aqui está tem a intenção de desmoralizar a esse poder, seja situação ou oposição. É um movimento preparado e tem cunho político, a reivindicação deve ser feita a prefeitura. Faz tempo que esse movimento deixou de ser reivindicatório, estão tentando atingir ao deputado federal Wolney Queiroz, que nem é vereador e muito menos prefeito, é um movimento político que deve está sendo financiado por alguém”,

Na justificativa sobre as regras impostas para manter a ordem na Câmara, sobrou para o ex-presidente da Casa, Lícius Cavalcanti (PCdoB). “Não vou deixar que façam conosco o que fizeram no ano passado na Academia Caruaruense de Letras, quando um bocado de gente nas nossas costas e após o votação da questão dos salários do prefeito e dos vereadores fomos desrespeitados e o presidente da Casa ficou passivamente assistindo a tudo e permitindo que passássemos por todo aquele constrangimento. Temos compromisso com todos os vereadores, seja de oposição ou situação e vamos respeitar o regimento interno dessa Casa”, disse Leonardo Chaves.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro