4 de junho de 2012 às 08h29min - Por Mário Flávio

Mais uma vez o São João de Caruaru implantou o Camarote da Acessibilidade, iniciativa estadual da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSDH), para oferecer um espaço adequado para pessoas com deficiência durante o período junino no Pátio de Eventos Luiz Gonzaga. Na edição 2012, a programação do camarote segue até 30 de junho e promoverá também atividades ligadas à conscientização dos direitos humanos. Para a secretária Laura Gomes, a cada edição, a estrutura do camarote tem se aprimorado.

“Mais uma vez estamos implantando o camarote no São João e a importância disso é mostrar à sociedade que é possível a acessibilidade estar, não só nos grandes eventos, mas no dia  a dia das pessoas. Este ano o camarote está disponibilizando 900 vagas em todo o estado, dessas, 100 vagas são de demanda espontânea, tem que acessar o 0800 081 44 21, que é a ouvidoria da secretaria, e as 800 vagas restantes são articuladas com a os conselhos municipais e estadual da pessoa com deficiência. E a importância cada vez mais é dar visibilidade para todas as pessoas, não só do ponto de vista da estrutura física, mas também do ponto de vista comunicacional”, explicou.

O Camarote funcionará de quinta-feira a domingo, no período da noite. Durante os festejos, técnicos do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) estarão percorrendo hotéis e restaurantes, para fortalecer a campanha contra a Exploração Sexual de Criança e Adolescente, que esse ano tem como tema – Assuma seu papel! Mais responsabilizaAÇÃO. Também serão realizadas oficinas de Direitos Humanos de segunda a sexta-feira, à tarde, para estudantes da rede pública e familiares de pessoas com deficiência.  A programação contará ainda com quadrilhas juninas formadas por cegos, surdos e cadeirantes.

Segundo a secretária, o governo do estado está apostando nas ações de Desenvolvimento Social.”Cada vez mais vamos aprimorando, durante o São João temos não só o camarote, mas sala de cataterismo – importante para pessoas que precisam trocar as sondas – e banheiros adaptados, então  vamos aprendendo com as próprias pessoas com deficiência sobre suas necessidades. E também estamos realizando, durante a semana, oficinas com objetivo pedagógico, para mostrar à criança e ao adolescente a possibilidade de formar uma sociedade com um novo olhar sobre a importância da acessibilidade”, reforçou Laura.

 


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro