24 de março de 2012 às 20h03min - Por Mário Flávio

Nesse fim de semana o Jornal Extra circula com uma entrevista do deputadao federal, João Paulo. Ele diz que as brigas internas estão implodindo o complicado diretório local. Após ler a entrevista, o presidente local do PT, professor Josué Euzébio, se irritou e o desejo de deixar a presidência da legenda voltou a ser comentado pelo mesmo.

Os companheiros, liderados por Eduardo Guerra, Adilson Lira, Beatriz e Henrique, foram até o professor e minimizaram a raiva do petista. Eu conversei agora há pouco com o presidente do partido e ele negou que a possível saída fosse por questões políticas. “Faz algum tempo que manifesto o desejo de deixar a presidência, principalmente devido às minhas atividades, mas em nenhum momento houve a questão política. Mas confesso a você, quando li a entrevista, fiquei com raiva, mas passou. O deputado disse que as brigas iriam afundar o diretório, mas hoje não existem brigas, as mesmas eram comuns na época de Rogério e Louise, hoje a turma está mais unida”, disse.

Sobre a sua saída do PT foi enfático: “Não existe a menor possibilidade, fico na presidência do PT”. Na verdade, o professor ainda não se acostumou com a fogueira de vaidades envolvendo aos possíveis candidatos a vereador pelo partiro. Josué é um dos melhores quadros do PT e perdê-lo agora, seria muito ruim para o PT, que ficaria ainda mais fragilizado. O diretor de Cultura de Caruau, Djair Vasconcelos, disse aqui no blog que do jeito que está o PT não elege nem um vereador esse ano.

Briga nunca foi problema no partido e o próprio João Paulo nunca explicou o front dele com seu ex-apadrinhado, Joào da Costa. Aliás, o PT no Recife é um pé de guerra. O problema do PT aqui é candidato com voto. Sem Rogério e Louise no páreo, resta a sigla se unir em torno de um nome, mas devido ao perfil dos pré-candidatos, essa situação é muito difícil de se concretizar e como profetizou Djair, a sigla fica sem mandato na Câmara.

 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro