24 de janeiro de 2012 às 09h00min - Por Mário Flávio

Com informações do Diário da Sulanca

O  deputado federal José Augusto Maia (PTB) respondeu através de nota à imprensa as criticas que recebeu da administração do Moda Center. A quebra de braço entre a atual gestão e a família Maia parece que está só no começo e ainda vai render muitas polêmicas.

E no meio dessa confusão quem sai perdendo é o Moda Center, que tem seu nome envolvido em uma briga que deverá chegar aos palanques eleitorais da campanha municipal.
Confira a nota do deputado José Augusto
A nota da atual direção do Moda Center é fraquíssima, por ser cumprida, cansativa e enfadonha e especialmente por não condizer com a verdade. Acho até que foi feita assim, para cansar e confundir os leitores e, desta forma, esconder os fatos. Impressionante, também, é que no tempo da minha gestão tudo funcionava perfeitamente bem, não havia reclamação dos condôminos, pelo menos na proporção que hoje existe, quanto ao funcionamento do Parque.
Por outro lado, realmente não sou condômino. Porém, o Regimento Interno do Moda Center diz que para ser síndico não é preciso ser condômino, além do quê, com a ajuda do povo, eu lutei, insisti e consegui construir o Moda Center, enquanto esta diretoria, que aí está, foi contra. Chegaram a promover passeatas pelas ruas, tentando impedir a transferência da feira para o Parque, porque iria prejudicar os negócios e desvalorizar os imóveis deles no centro da cidade.
Leia as mentiras contidas na nota deles:
Mentira 1 – Eles afirmam que eram comuns os apagões no Parque, quando na verdade tentam esconder que a falta de energia começou a acontecer na gestão deles, assim como falta de água, papel higiênico, banheiros quebrados e interditados, além do lixo espalhado por toda área do Moda Center;
Mentira 2 – Disseram que o dinheiro da venda dos 192 boxes sumiu. Na verdade, e a atual diretoria sabe disso, o dinheiro da venda destes boxes foi destinado para o recapeamento completo dos estacionamentos e vias do Parque e, também, para aquisição do terceiro Grupo Gerador de Energia, tudo aprovado em reunião da diretoria, na nossa gestão;
Mentira 3 – Dizer que foram eles que conseguiram as câmeras de segurança é outra mentira. Deixamos os recursos destinados para aquisição de todo equipamento necessário, junto à Construtora CP;
Mentira 4 – Afirmam que reduziram a conta de energia em 30 %. Como então pagaram R$102.800,00 (Cento e dois mil e oitocentos reais) em Outubro de 2011, enquanto a nossa conta era de R$102.400,00 (Cento e dois mil e quatrocentos reais) em Junho de 2010. Isto sem falar, que gastaram uma fortuna na compra das tais novas lâmpadas, que obriga os proprietários de boxes a viver numa escuridão ou colocar lâmpadas nos boxes, aumentando a conta de energia do condomínio.
Mentira 5 – A despesa de energia do Paraguai era pago pelos próprios feirantes e recolhida para o condomínio, através de consumo presumido, por lâmpada/banca;
Mentira 6 – A orientação Psicológica foi iniciada na nossa gestão, com a contratação de uma profissional, que até hoje continua prestando seus serviços aos funcionários do condomínio;
Mentira 7 – Foi na nossa gestão que os carrinhos dos ambulantes foram padronizados. As medidas, inclusive, foram decididas em reunião da diretoria, com representantes dos ambulantes;
Mentira 8 – Disseram que não tínhamos medidas para conter as enchentes. Esqueceram do canal que construímos em volta de todo o Parque. Uma obra gigantesca, que acabou com o perigo de novas enchentes na área interna do condomínio.
Mentira 9 – Nunca houve apadrinhamento político, trabalhávamos com uma equipe profissional e quanto ao aluguel de equipamentos e veículos, a moderna forma de gestão diz que não se imobilizam recursos, especialmente nas áreas de serviços, veja por quê:
a-    Além do custo de aquisição, impressoras são equipamentos que vivem dando problema, exigindo, também, recarga de cartuchos laser. O custo da manutenção é caro, isso sem falar que ficam defasadas em seis meses e se quebrarem, na maioria das vezes, precisam ser substituídas. Numa locação isto não acontece. O locador tem que manter os serviços funcionando, até com a substituição do equipamento, por conta dele, se for preciso.
b-    Com relação aos veículos, as despesas são ainda maiores, ao contrário de uma locação, onde o locador é quem arca com todos os custos. No caso da aquisição, o condomínio tem que desembolsar a manutenção, o combustível e o salário dos motoristas e funcionários, isto sem contar com o valor do veículo. Um erro administrativo absurdo, onde quem paga a conta, em dobro, é o condômino.
Mentira 10 – Débitos Trabalhistas. Os débitos trabalhistas, em grande escala e valor, são de responsabilidade da atual direção, que demitiu sem justa causa, dezenas de funcionários competentes por pura perseguição política, trocando-os por novos, para atender pedidos e apadrinhamentos políticos, não importando os prejuízos pelo alto número de indenizações Trabalhistas. Se os funcionários demitidos, estão ganhando as questões na Justiça do Trabalho, é, justamente, porque quem os demitiu, sem sombra de dúvida, está totalmente errado.
O que eles “ESQUECERAM” dizer:
Esqueceram 01 – Que o contrato com a Globo, feito por nossa administração, para uma divulgação com o objetivo de atrair compradores para o Moda Center, por quatro meses consecutivos nos programas de maior audiência em Minas Gerais, segundo maior comprador do nosso Pais, não foi cumprido pela atual administração.
O que fez o atual diretor? Não efetuou o pagamento da primeira mídia, que já tinha acontecido em sua gestão (os pagamentos deveriam ser feitos a cada mês, após a divulgação comprovada, em parcelas de cem mil reais), isto é, deu um calote na Globo. Como a Globo já havia feito a mídia e não recebeu, executou o Moda Center por C A L O T E. A atual administração do Moda Center foi a responsável pelo protesto. Esta é a grande verdade e podemos provar.
Esqueceram 02 – Porque não explicam que não reduziram o valor do condomínio, que prometeram aos condôminos, durante a campanha para a eleição de 2010.
Esqueceram 03 – Que para o Centro Administrativo, deixamos todos os recursos junto à CP Construções, bem como, os recursos para o asfaltamento de todo estacionamento e vias do Parque, o sistema de Câmeras de Vigilância e o ambulatório médico entre outras obras.
Esqueceram 04 – Também não falaram da construção do refeitório, vestuário e dependências dos funcionários, que realizamos na nossa gestão, provando com obras e não festinhas de fim de ano, que nos importamos com os nossos colaboradores;
Esqueceram 05 – Finalmente, escondem atrás de falsas afirmações, que não havia segurança na nossa gestão. O que eles fizeram? Cancelaram o contrato com a Ampla, de forma unilateral e sem aviso. E pior, tiveram a inteligência de contratar todos os funcionários daquela empresa, gerando custos trabalhistas estratosféricos e desnecessários. O pior é que agora, estão tentando trocar o serviço de Orientadores de Público (como era na nossa gestão), por Seguranças. Esta categoria precisa ser registrada na Polícia Federal e com salários muito mais altos, o que não era necessário antes.
Quanto ao direito de resposta, nem era preciso pedir. Estamos abertos para recebê-los e debater os assuntos do Moda Center, no interesse do condômino e do povo do Polo das Confecções.

DEPUTADO FEDERAL JOSÉ AUGUSTO MAIA


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro