12 de março de 2013 às 17h13min - Por Mário Flávio

João Paulo

O deputado federal João Paulo (PT) concedeu entrevista na manhã desta terça-feira (12) ao programa Nordeste em Foco e falou sobre o futuro do Partido dos Trabalhadores.

Festa e zoada – João Paulo afirmou que a confusão envolvendo simpatizantes de diferentes correntes internas, ocorrida na comemoração dos 33 anos do PT, em Recife, foi um ato isolado. “O encontro foi significativo. A ação isolada de 10 ou 15 pessoas não pode tirar o brilho de uma festa tão bonita”, argumentou.

Dilma e o Nordeste – Sobre a frequente agenda da presidenta Dilma (PT) a estados do Nordeste, ele disse não ver nenhuma vinculação com a eleição presidencial do ano de 2014. “Ela tem vindo ver de perto as obras de sua gestão e a transformação que o PT proporcionou ao Nordeste ao longo dos últimos 10 anos”, citou.

Eduardo e o Planalto – Quanto à possibilidade de Eduardo Campos (PSB) concorrer ao cargo de presidente da República em 2014 o petista disse que ainda crer que o socialista apoie o nome de Dilma, na busca dela pela reeleição. “Há sinais de que ele (Eduardo) possa ser candidato, mesmo assim ainda creio que ele vá mesmo está conosco em 2014”, disse João Paulo, que prosseguiu e alfinetou: “espero que, por tudo o que Lula e Dilma fizeram e fazem por Pernambuco, possamos estar juntos, por isso não acredito que ele seja candidato”, reforçou.

PTB e PT – O deputado federal falou ainda sobre a estratégia à ser adotada pelo PT para a eleição para governador do Estado em 2014. O petista externou grande simpatia pelo senador Armando Monteiro Neto (PTB). “O PT terá um palanque forte no próximo ano, seja com um candidato próprio, ou mesmo com um outro nome, como o de Armando Monteiro. Creio que a proximidade entre o PT e Armando seja boa para ambos”, completou.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro