30 de outubro de 2012 às 08h00min - Por Mário Flávio

Para os governistas não passa de boato de mal intencionado a teoria da desistência dos chineses da Shacman em trazer a fábrica de caminhões para Caruaru. Em conversa recente com o vice-governador, João Lyra (PDT), ele disse que por enquanto, nenhuma mudança existe oficialmente, e que houve uma alteração na Lei, mas que Caruaru deve mesmo receber, em breve, as fábricas de caminhões. “Quanto à fábrica de caminhões, que foi anunciada para Caruaru, por meio do Governador Eduardo Campos, os entendimentos estão acontecendo. Não é fácil, nem em pouco espaço de tempo que se implanta uma fábrica de caminhões, mas tudo está sendo trabalhado”, disse.

O pedetista ressaltou ainda que uma mudança na legislação atrasou ao processo, já que a partir dessa nova Lei, a fábrica pode ser instalada em qualquer lugar do Brasil, por isso, a concorrência de outras cidades, dificultou o processo. Mesmo assim , o vice está otimista, quanto a vinda desse empreendimento. “Houve uma mudança na legislação e a BMW anunciou a construção de uma fábrica com investimentos de 600 milhões de reais em Santa Catarina e estamos confiantes para continuarmos as conversas, para que possamos implantar essa fábrica o mais rápido possível aqui em Caruaru”, destacou.

Sobre as fábricas de motos e alimentos, João Lyra, garantiu que até dezembro a situação deve ser resolvida. “Na primeira quinzena de novembro já acertei com Franco Vasconcelos e vou a Goiás, para vermos a questão da fábrica de motos, já que houve uma mudança lá na China. Com relação a fábrica de alimentos, que era consorciada por meio dos Estados Unidos, uma empresa foi vendida e eles estão ajustando algumas questões. No entanto, as fábricas de alimentos e motos, que foram anunciadas por mim na Acic, desde agosto desse ano, que voltamos a ter entendimento e vamos concluir até o mês de dezembro

Lyra ainda citou a questão da Cemil, que foi anunciada desde o primeiro governo de Eduardo Campos (PSB) e ainda não saiu do papel. “Acompanho a situação da Cemil desde 2006. Eles têm algumas dificuldades, mas que irão superar. Estive lá em Patos de Minas com secretário Franco Vasconcelos e com o presidente da Cerape, que é ligada as cooperativas de leite. Estamos para definir a situação da Cemil até o dia 30 de novembro, já que o terreno foi doado e o governo de Pernambuco fez a terraplenagem. Juntamente com a prefeitura estamos oferecendo todas as condições para a instalação da fábrica”, explicou Lyra.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro