18 de outubro de 2017 às 07h28min - Por Mário Flávio

Humberto Costa no Senado

O senador Humberto Costa (PT-PE) comparou a delação premiada do ex-deputado Pedro Côrrea (PP-PE), incriminando o ex-presidente Lula nos desmandos da Petrobrás, a uma verdadeira “peça de ficção”.

Segundo o petista, o ex-deputado não tem moral nenhuma para fazer acusações ao ex-presidente porque está condenado a mais de 29 anos de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro nos processos do mensalão e da Lava Jato.

Disse também que o depoimento do ex-deputado é de “baixa qualidade, recheado de mentiras descaradas que são, inclusive, contrariadas por falas de outros delatores presos”.

“A fala do senhor Pedro Côrrea não ajuda à busca da justiça e da verdade. Ao contrário, só mostra a deplorável disposição de membros do Poder Judiciário e do Ministério Público Federal no sentido de eleger alvos com um nítido fim de perseguição política e o principal deles é Lula”, acrescentou.

O senador disse também que “o objetivo da sanha persecutória da Lava Jato é Lula, obter qualquer coisa para justificar as sentenças precárias de sua condenação e usar indevidamente as leis e procedimentos jurídicos para retirá-lo a qualquer preço da disputa eleitoral do próximo ano”.

E concluiu: “Sabemos que o juiz Sérgio Moro, já visto com desconfiança por grande parte dos brasileiros, é useiro e vezeiro em ser acusador e julgador de Lula, como se manejasse Direito Canônico, em que a Igreja acusa e julga. É o absurdo dos absurdos”.

Em sua delação premiada, o ex-deputado afirmou que o ex-presidente Lula pressionou o então presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, além dos membros do conselho de administração da estatal, para que Paulo Roberto Costa fosse nomeado para a Diretoria de Abastecimento.

Segundo Corrêa, além dele, de Lula e de José Eduardo, também participaram desta reunião o então líder do PP na Câmara, Pedro Henry (MT), o então José Janene (PP-PR), o então ministro das Relações Institucionais Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e o então ministro da Casa Civil José Dirceu.

“Lula disse a José Eduardo para mandar um recado aos conselheiros: que se Paulo Roberto Costa não estivesse nomeado em uma semana, ele iria demitir e trocar os conselheiros da Petrobras”, relatou Pedro Corrêa.

Os vídeos com a delação premiada do ex-deputado foram tornados públicos no dia 29 de setembro no site da Câmara Federal.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro