23 de julho de 2012 às 09h06min - Por Mário Flávio

Com informações da Folha

Os policiais civis de Pernambuco começaram às 0h desta segunda-feira (23) a trabalhar de acordo com a Operação Cumpra-se a Lei. Eles decidiram diminuir o ritmo das atividades por tempo indeterminado durante assembleia geral da categoria, no último dia 17 de julho, em busca de melhorias salariais, pagamento de adicional noturno, horas extras, vale-refeição e equipamentos de segurança.

Com a paralisação, apenas 30% das atividades realizadas pela Polícia Civil devem ser cumpridas. De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Pernambuco (Sinpol-PE), são 5.832 policiais civis em geral. A orientação do sindicato é de que eles realizem apenas as atividades consideradas essenciais ou inadiáveis, a exemplo de flagrantes e perícias em locais de crime.

Neste período, os flagrantes delitos serão registrados nas delegacias de plantão de Casa Amarela, Cordeiro, Boa Viagem, Paulista, Prazeres, Olinda, Santo Amaro e Várzea. O trabalho no Interior ficará sob responsabilidade das delegacias seccionais. Quem for roubado ou furtado, por exemplo, poderá registrar o Boletim de Ocorrência (B.O.) por meio do serviço virtual da Delegacia Interativa (www.policiacivil.pe.gov.br).

Conforme o Sinpol-PE, não será feito o registro de Boletim de Ocorrência nas delegacias no período da greve. O Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB) funcionará parcialmente. O trabalho no Instituto de Medicina Legal (IML) seguirá normalmente. A categoria pretende avaliar o movimento durante uma nova assembleia prevista para a quinta-feira.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro