14 de março de 2012 às 11h48min - Por Mário Flávio

Em assembleia realizada pela manhã nesta terça-feira (14) os agentes de Trânsito e guardas municipais mantiveram a greve da Destra, mesmo depois da notificação da Justiça determinando sua ilegalidade. A decisão dos grevistas foi tomada durante movimentação em frente à sede do SISMUC. O presidente do sindicato, Eduardo Mendonça, informou aos funcionários da autarquia que a decisão de permanecer a paralisação seria deles, ainda que sob pena de desconto por dias trabalhados. Em protesto, os grevistas gritaram uníssonos: “fora Bosco, fora Bosco”. A indignação dos guardas e agentes contra o tenente-coronel Bosco foi um dos estopins para a paralisação, já que os agentes tem reclamado constantemente que Bosco os trataria de forma abusiva.

 

Qualquer decisão tomada pelo coronel vira motivo de lavagem de roupa suja com servidores da Destra

 

Na verdade, os gritos de “Fora Bosco!” resumem de forma lúdica as reivindicações dos grevistas, mas não é apenas contra Bosco que os funcionários se dirigem. Por enquanto, os agentes e guardas ainda negociam alguns pontos com a prefeitura e esta diz que já acatou a 13 reivindicações dos grevistas. Quanto à sentença do juiz José Fernando contra a greve, o Sismuc informar vai enviar um agravo ao Tribunal de Justiça de Pernambuco, com a finalidade de suspender os efeitos da liminar do Juiz José Fernando, que determinou a ilegalidade da greve. Por unanimidade, os servidores votaram a favor de manter a paralisação e ainda hoje o documento deve ser enviado para o TJPE.

Ouça o áudio com a entrevista coletiva sobre o protesto desta manhã.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro